Problemas se acumulam, e Ceni terá que 'quebrar a cabeça' para montar o Flamengo contra o São Paulo

LANCE!
·3 minuto de leitura


Não bastasse as ausências já confirmadas de Filipe Luís e Rodrigo Caio, Rogério Ceni viu os problemas se acumularem nos últimos dias e, assim, o técnico terá que "quebrar a cabeça" para montar o melhor Flamengo possível para encarar o São Paulo, no Morumbi, pela classificação para a semifinal da Copa do Brasil.

Além do lateral-esquerdo e do zagueiro, que se recuperam de lesões, a provável lista de desfalques para o jogo de quarta-feira, no qual o Flamengo precisa de uma vitória simples para forçar a decisão por pênaltis, ainda tem Diego Ribas, Pedro, Everton Ribeiro e Isla, que podem ganhar a companhia de Thiago Maia e Gabriel Barbosa, dupla que será reavaliada neste domingo.

- Pedro como já devem saber, foi cortado da Seleção por uma lesão. Rodrigo Caio, Diego e Filipe Luis não têm condições para quarta. Vamos ter que avaliar o Gabriel. Também no Thiago Maia. O Isla, pela distância, acho difícil poder. O Everton Ribeiro, possivelmente deve jogar o segundo jogo da Seleção. Infelizmente nós temos um grande número de jogadores experientes com alguns problemas - lamentou Ceni após o empata em 1 a 1 com o Atlético-GO.

PEDRO SE MACHUCA, ISLA E ER7 DEVEM FICAR FORA

Com rodada das Eliminatórias Sul-Americanas marcada para terça, Everton Ribeiro e Isla devem estar em campo por Brasil e Chile, respectivamente, contra o Uruguai, em Montévideu, e Venezuela, em Caracas, na véspera do jogo com o São Paulo no Morumbi. A dupla deve ser titular e, somado a isso, há as viagens, que tornam pequenas as chances de atuarem contra o SP em boas condições.

Já Pedro foi cortado da Seleção Brasileira no sábado. De acordo com o médico Rodrigo Lasmar, o jogador sentiu um desconforto no local durante atividade.

ARRASCAETA TEM RETORNO PROBLEMÁTICO DA CELESTE

O técnico Rogério Ceni ainda revelou que, na véspera do jogo contra o Atlético-GO, Arrascaeta sentiu uma "dorzinha no tornozelo" (não especificado), que o impediu de treinar com o grupo na sexta. O retorno do meia desde que se reapresentou lesionado da seleção uruguaia é problemático. Em 16 de outubro, na volta do atleta da Celeste com uma lesão muscular na coxa, o DM informou que Arrascaeta "iniciou os tratamentos no CT e seria reparado para os jogos da próxima semana" - o que só veio a acontecer, de fato, no dia 11 de novembro.

A "permanência prolongada" do uruguaio no departamento médico se deu por conta de uma lesão no joelho (não informado pelo clube), no fim de outubro.

Contra São Paulo e Atlético-GO, Rogério Ceni procurou dar ritmo de jogo ao atleta. Foram 60 minutos em campo somando as duas partidas. O técnico já sabe que não contará com o melhor de Arrascaeta na quarta-feira, mas pretende utilizá-lo o máximo possível, afirmou neste domingo, em entrevista.

- Eu acho que independente de ele ter condições ou não, vamos tentar ao máximo colocá-lo em campo na quarta. Para colocar pela beirada, como eu gosto, ele não vai ter condição física neste momento. Vamos ter que achar uma solução e uma posição que ele possa nos ajudar - afirmou o treinador do Fla, que vê, além de Arrascaeta, outros atletas desgastados pela maratona de jogos.