Primeiro dinamarquês da F1, Tom Belso morre aos 77 anos

Redação GP

Primeiro piloto dinamarquês da história da Fórmula 1, Tom Belso faleceu aos 77 anos de idade na manhã desta segunda-feira (13). Ele batalhava contra um câncer no estômago.

Conhecido nas pistas como "Dinamarquês Sorridente", Belso era mecânico e iniciou sua carreira no automobilismo em 1969. Ele rodou por categorias menores como Fórmula 5000 e Fórmula 2 até receber uma chance na Iso-Marlboro, equipe administrada por Frank Williams antes da criação do time homônimo, em 1977.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Belso recebeu a chance após a aposentadoria do italiano Nanni Galli. O dinamarquês correria o GP da Suécia de 1973, mas como o dinheiro do patrocinador não chegou a tempo, ele foi substituído pelo neozelandês Howden Ganley.

Tom Belso (Foto: Reprodução)


Tom teria uma nova oportunidade na Iso-Marlboro em 1974. Ele abandonou com poucos metros na África do Sul, não se classificou para o GP da Espanha, registrou um oitavo lugar no GP da Suécia e não se classificou para a prova na Inglaterra, encerrando sua carreira na F1.

Belso também era empresário, fundando uma empresa de cereais em 1977. Após sua participação na F1, outros quatro dinamarqueses também correram na categoria: Jac Nelleman, Jan Magnussen, Nicolas Kiesa e Kevin Magnussen. Este último é um membro do grid atual, correndo pela Haas.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.






Leia também