Primeiro ato de Messi no PSG é discreto e sem Neymar

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A 150 quilômetros ao norte de Paris, a cidade de Reims foi escolhida, entre os séculos 11 e 19, para coroar monarcas franceses. Neste domingo (29), o local foi palco da estreia do argentino Lionel Messi com a camisa do Paris Saint-Germain.

O craque entrou aos 20 minutos do segundo tempo, quando a vitória do PSG sobre o Reims, por 2 a 0, já estava encaminhada.

Com a camisa 30, o astro começou no banco de reservas, já que o treinador Mauricio Pochettino escalou o trio de ataque com Di María, Mbappé e Neymar. Superior no jogo, o PSG envolveu os donos da casa com facilidade desde o primeiro minuto, mas parecia pouco importar o que acontecia em campo. O foco estava fora das quatro linhas, em Messi.

A partida pelo Francês reuniu no acanhado estádio Auguste-Delaune II, com capacidade para 21,6 mil pessoas, torcedores de Coréia do Sul, Egito, Índia, Tailândia, entre outros países. Todos para ver a estreia do argentino. Quando Messi foi para o aquecimento, pela primeira vez, aos 12 minutos da etapa final, fãs do Reims se levantaram para aplaudi-lo e fotografá-lo.

Para delírio do público, Messi entrou aos 20 minutos da etapa final, no lugar de Neymar. Ambos se abraçaram. Não foi desta vez que a dupla de sucesso no Barcelona foi reeditada.

No instante da entrada do jogador, o placar já mostrava o que Mbappé havia feito em campo. O atacante francês, sempre oportunista, marcou o primeiro após cruzamento de Di María, aos 15 minutos de jogo, e ampliou aos 17 da etapa final.

Messi, contudo, teve uma estreia tímida. Seu melhor momento foi aos 32 minutos, quando arrancou com a bola e tabelou com Mbappé, mas viu a defesa adversária afastar.

A passagem de Messi pelo clube francês desperta curiosidade pelo fato de, possivelmente, ser uma das últimas de sua carreira em alto nível. O craque, eleito seis vezes melhor do mundo (2009, 2010, 2011, 2012, 2015 e 2019), está com 34 anos.

Em 21 anos a serviço do Barcelona, Messi conquistou ao menos 17 títulos importantes e marcou 672 gols. Chegou aos 13 anos e, com 17, estreou na equipe principal na vitória sobre o Espanyol por 1 a 0, no dia 16 de outubro de 2004. Hoje técnicos, o espanhol Óscar García, do Reims, e Pochettino, do PSG, defendiam o Espanyol na ocasião. O atual treinador do camisa 30, aliás, foi um dos zagueiros que correram atrás daquele jovem franzino e talentoso.

O casamento com o Barcelona só chegou ao final no último dia 30 de junho, quando o último contrato expirou e sem perspectivas de renovação. Livre no mercado, Messi recebeu do PSG luvas de 25 milhões de euros (R$ 153,4 milhões) pela assinatura do contrato de duas temporadas, com possível renovação por mais uma.

No Parque dos Príncipes, o camisa 30 reeditará parceria com o seu amigo Neymar. O argentino e o brasileiro atuaram juntos em 161 partidas pelo Barcelona -- são 120 vitórias e 22 derrotas, além de 19 empates. Foram oito títulos em quatro temporadas atuando juntos, incluindo a Champions League de 2014/2015.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos