A primeira vez de Pelé com a camisa do Santos

Primeira foto de Pelé com a camisa do Santos (Foto: Reprodução)


Os caminhos de Pelé, maior ídolo do Santos, e do clube se cruzaram no ano de 1956. Levado ao clube da Baixada Santista pelo técnico Waldemar de Britto, o então garoto prodígio chegou à Vila Belmiro como grande promessa. E o comandante, que disputou a Copa do Mundo de 1934 com a Seleção Brasileira, acertou em cheio na sua escolha. O Rei do Futebol morreu nesta quinta-feira, em São Paulo (SP).

À época, segundo informações do site do Santos, Waldemar de Brito disse que Pelé seria o melhor jogador de futebol do mundo. Dito e feito. E precisou de apenas um mês desde sua chegada ao Peixe para que o potencial fosse mostrado. Em amistoso contra o Corinthians de Santo André, o Gasolina entrou no segundo tempo e marcou seu primeiro gol pelo clube em vitória por 7 a 1.

Gasolina, no caso, era Pelé. O Rei tinha este apelido, mas que logo foi esquecido. O codinome que o consagrou foi em homenagem a Bilé, ex-goleiro do Vasco, mas que a dicção ainda em formação transformou em Pelé.

-> Confira a tabela da Copa do Mundo

Com 16 anos de idade, Pelé já era titular do Santos. Em 1957, o craque foi artilheiro do Campeonato Paulista, o mais jovem até hoje, marcando 36 gols. Foi assim que despontou nacionalmente.

O Rei atuou durante quase toda sua carreira no Santos, de 1956 a 1974. No período, Pelé levou o clube a conquistar dez títulos estaduais e seis campeonatos nacionais (Taça Brasil e Torneio Roberto Gomes Pedrosa), além de duas Copas Libertadores e dois Mundiais de Clubes, em 1962 e 1963.