Primeira morte por coronavírus entre funcionários das obras do Catar-2022

AFP
Clientes passam por controle de temperatura em centro comercial de Doha em 15 de junho de 2020
Clientes passam por controle de temperatura em centro comercial de Doha em 15 de junho de 2020

O Catar confirmou nesta quinta-feira (25) a primeira morte por COVID-19 entre os trabalhadores das obras da Copa do Mundo de 2022.

O falecimento, de um engenheiro que não tinha nenhum problema médico prévio, foi anunciado em um primeiro momento pelo Doha News, um site de notícias muito popular entre os expatriados.

"Infelizmente, em 11 de junho de 2020, um engenheiro de 51 anos, funcionário da empresa Conspel, faleceu tragicamente depois de ter sido infectado pela COVID-19", afirmou o comitê de organização do Mundial em um comunicado, sem informar a nacionalidade.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Uma fonte próxima ao comitê de organização afirmou à AFP que 1.102 casos de COVID-19 foram detectados entre os trabalhadores das obras da Copa do Mundo.

O Catar tem uma das taxas de infecção por habitante mais elevadas do mundo, com 3,3% de seus 2,75 milhões de habitantes.

Mais de 90.000 casos foram detectados no país, com 104 mortes, de acordo com os dados oficiais publicados nesta quarta-feira.

As obras para o Mundial, que estão 80% concluídas segundo a organização, reduziram o ritmo devido às medidas de confinamento e distância social.

O Catar iniciou uma flexibilização e autoriza as orações em algumas mesquitas.

Cafés e restaurantes devem reabrir as portas, com medidas de higiene especiais e de distância social, em 1º de julho.

Leia também