Primeira final e 13 jogos de invencibilidade: Fábio Carille ‘recupera’ Al-Ittihad na Arábia

LANCE!
·2 minuto de leitura


Contratado em fevereiro de 2020, Fábio Carille chegou ao Al-Ittihad, da Arábia Saudita, com um objetivo: livrar a tradicional equipe do rebaixamento naquela temporada. Após um bom início e a parada por conta da pandemia de coronavírus, a equipe do técnico brasileiro retornou bem, conseguiu uma ótima sequência e seu principal objetivo. Na segunda temporada, porém, Carille tem conseguido muito mais à frente do clube saudita.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

GALERIA
> Relembre 15 vendas relevantes de clubes brasileiros nos últimos anos

Na última segunda-feira, o Ittihad venceu o também saudita Al-Shabab na semifinal da Copa dos Campeões Árabes por 2 a 1. Com a vitória, Carille chegou à sua primeira final desde que chegou ao país. O triunfo, também, representou a 13ª partida em sequência sem derrota dos comandados do treinador.

- Um fase muito boa, de entendimento de todo o grupo com relação à nossa ideia de jogo, ao trabalho que passamos no dia a dia, e os resultados em campo estão vindo. Estamos muito felizes que estamos conseguindo eles mesmo com todas as dificuldades, tendo alguns desfalques importantes - disse Fabio, que completou:

- São 13 jogos sem perder, o que é importante. A equipe encontrou uma solidez defensiva e agora estamos buscando esse equilíbrio, tentando ser efetivos lá na frente, aproveitar cada vez mais as chances que estamos criando.

Na sequência de 13 jogos, são seis vitórias e sete empates, sendo que um deles foi na partida de ida das semifinais, contra o Al-Shabab, na casa do adversário. Carille comemora o bom momento, mas faz questão de salientar que esse era o objetivo desde a sua chegada ao Ittihad.

- Quando eu cheguei aqui, eu disse que meu principal objetivo era colocar o Ittihad no lugar dele, brigando por coisas importantes, e não disputando ali na zona de baixo da tabela. Isso era o importante. Resgatar o lugar do Ittihad, que é grande e precisa brigar lá em cima.