Previsão indica chuva nos treinos da F1 em São Paulo

·3 min de leitura
Previsão indica chuva na sexta e melhora no sábado e domingo. Foto: Nelson Almeida/AFP via Getty Images
Previsão indica chuva na sexta e melhora no sábado e domingo. Foto: Nelson Almeida/AFP via Getty Images

Quem acompanha o GP de Interlagos sabe: em algum momento a chuva vai deixar tudo mais emocionante. E não será na edição de 2021 que isso vai mudar. Pelo menos é o que indica a previsão do tempo para a volta da Fórmula 1 a São Paulo, após dois anos, já que em 2020 a etapa brasileira não aconteceu devido a pandemia de Covid-19.

A sexta-feira que tem treino livre, a partir de 12h20, e treino classificatório para a corrida sprint, às 15h00, será o dia mais frio para os pilotos. A máxima esperada é de 17°C e a chance de chuva é grande, com risco de 60% de pistas molhadas após o meio-dia.

Leia também:

No sábado, que tem a novidade da corrida sprint, prova de apenas 100 quilômetros e duração de 25 até 30 minutos para definir o grid de largada, a previsão é de pista seca. As temperaturas devem subir timidamente, para 19°C.

Para quem quer sol ele deve aparecer durante a corrida de domingo. Com pista seca e tempo ensolarado, a temperatura durante a prova deve chegar aos 21°C.

Essa variação de clima não agrada nem um pouco os engenheiros da Mercedes, que segue na luta para levar Lewis Hamilton ao octacampeonato e chegar ao mesmo número de títulos consecutivos no mundial de construtores.

O diretor de engenharia da Mercedes, Andrew Shovlin, torce por um clima mais frio e tempo nublado no circuito localizado na zona sul da capital paulista.

“O clima é inerentemente muito instável em São Paulo, você pode ter uma pista de 50 graus em um dia e pode haver uma grande queda no dia seguinte. Eu acho que se for um circuito quente, então provavelmente vai se mover na direção deles (Red Bull Racing). Um pouco de cobertura de nuvens pode muito bem nos servir”, analisou.

Corridas com chuva são marca do GP

Com a prova em São Paulo normalmente sendo realizada no fim da temporada, o tempo instável serve como “tempero” para as edições do GP de Interlagos.

Uma das corridas mais marcantes nos últimos anos aconteceu em 2008 quando Felipe Massa e Lewis Hamilton duelaram pelo título até a última curva. Com muitas alternâncias de posições devido a chuva intermitente, quem se deu melhor foi o inglês que precisava da quinta colocação e conseguiu após o alemão Timo Glock ir para os boxes colocar pneus para pista molhada, nas voltas finais.

Felipe Massa, que venceu a prova, chorou junto aos brasileiros que por alguns instantes chegaram a comemorar um possível título do brasileiro.

Outra prova que marcou pela chuva aconteceu em 2016. Com a duração de 3:01:01.335 é uma das corridas mais longas da história da categoria. Com três relargadas, Hamilton subiu no lugar mais alto do pódio, na primeira vitória dele em solo brasileiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos