Prestes a completar 50 jogos, Alisson fala sobre disputa por posição na Seleção: 'Nunca tive cadeira cativa'

·2 min de leitura


Alisson está longe de viver a sua melhor fase como goleiro, mas seguirá como titular da Seleção Brasileira no confronto diante a Colômbia, nesta quinta-feira (11), às 21h30, na Neo Química Arena, pela 11ª rodadas das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, no Catar.

O goleiro do Liverpool não se vê em vantagem por uma disputa com Éderson e Weverton, que não foi convocado para esta rodada por opção do técnico Tite de não prejudicar as equipes brasileiras em reta final de competições nacionais e continentais, pela titularidade na meta brasileira.

- Encaro essa disputa da mesma forma que encarei todas as vezes que vim para a Seleção Brasileira, nunca tive cadeira cativa, posição privilegiada, fui reconhecido pelo meu desempenho no clube e trabalho nos treinamentos. Sempre dou 100% aqui, sem economizar nada, e isso pode favorecer a mim, ao Ederson, ao Weverton para ser titular da Seleção. Todos estão prontos e trabalham forte. Estou muito tranquilo em relação a isso (titularidade). A minha visão é sempre ser titular e jogar, como costumo fazer - disse em entrevista coletiva disponibilizada pela CBF nesta quinta-feira (11).

Titular no último Mundial, disputado na Rússia, Alisson completará 50 jogos pela Seleção diante dos colombianos nesta quinta-feira (11). A posição do arqueiro foi garantida pelo técnico Tite no último treinamento da Seleção Brasileira antes do confronto.

Como grandes momentos nesta trajetória, o goleiro relembrou a defesa em uma cobrança de falta de Messi na semifinal da Copa América de 2019, em jogo realizado no Mineirão, e a conquista da competição continental contra o Peru, no Maracanã.

- É um prazer completar 50 jogos pela Seleção Brasileira. A gente sempre fala isso, até parece meio clichê, mas cada jogo é sempre muito especial, e a gente fala isso porque realmente é. Sempre foi um sonho vestir essa camisa, e realizar esse sonho todas as vezes que eu jogo é muito importante e significativo para mim e a minha família. É difícil escolher um (jogo) e uma defesa, mas clássicos são jogos que eu gosto muito, contra a Argentina, jogos importantes. Na semifinal da Copa América (2019), fiz uma defesa em uma falta do Messia, talvez seja a defesa que eu mais gosta, pela dificuldade dela e a maneira que consegui executar. E o momento mais importante foi a final da Copa América, que deu a possibilidade para mim, e os meus companheiros, conquistar um título pela Seleção Brasileira. Momento que marcou a vida de muitos jogadores.

Revelado pelo Internacional, Alisson está desde 2016 no futebol europeu, como uma passagem de duas temporadas no Roma, da Itália, e há quatro anos atuando pelo Liverpool, da Inglaterra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos