Pressão do governo funciona, e Equador x Brasil terá 50% de torcida

·1 min de leitura
***ARQUIVO**Sochi, , Rússia, 19-06-2018:  Copa Russa 2018. Jogador Philippe Coutinho durante entrevista coletiva no centro de treinamento da Seleção Brasileira  em Sochi (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
***ARQUIVO**Sochi, , Rússia, 19-06-2018: Copa Russa 2018. Jogador Philippe Coutinho durante entrevista coletiva no centro de treinamento da Seleção Brasileira em Sochi (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A pressão do governo equatoriano sobre o órgão de saúde do país que monitora a pandemia funcionou e o duelo entre Equador e Brasil nesta quinta-feira (27), em Quito, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo, terá 50% de público no estádio Rodrigo Paz Delgado.

Na última segunda-feira (24), o COE (Comitê de Operações de Emergência) havia vetado a presença de torcedores em razão do avanço da variante ômicron.

Na terça (25), a Federação de Futebol do Equador classificou como errada a decisão de tirar o público do confronto e pediu a revisão do veto. Os equatorianos, que estão na terceira colocação nas Eliminatórias, buscam confirmar a vaga no Mundial do Qatar.

Técnico da equipe, o argentino Gustavo Alfaro disse que a notícia da ausência de torcida levou um impacto muito duro ao grupo de atletas.

Após apelo do presidente do país, Guilherme Lasso, para que o COE revisse a proibição de torcedores no duelo, uma reunião com o órgão e a Federação Equatoriana de Futebol foi convocada para esta quarta e determinou a liberação de metade da capacidade do estádio Rodrigo Paz Delgado (que comporta um total de aproximadamente 40 mil pessoas).

"Obrigado pelo apoio de sempre a todos os equatorianos. Sigamos respeitando os protocolos e nos cuidando. Nos vemos no estádio", publicou a federação em suas redes sociais, celebrando a decisão do COE.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos