Presidentes de Fla e Flu negam atrito com Botafogo e pregam respeito ao estádio

João Mércio Gomes
Após polêmica que resultou no afastamento do dirigente Pedro Antonio, dupla carioca lança nota oficial explicando projetos. Maracanã, cada vez mais longe, não está descartado

​Durante a semana, o Botafogo foi criticado por torcedores rubro-negros e tricolores nas redes sociais que elegeram o clube como 'vilão' do imbróglio da torcida na final da Taça Guanabara. No entanto, os presidentes de Flamengo e Fluminense negaram qualquer atrito com o Glorioso, que administra o estádio Nilton Santos. A dupla acha natural a reivindicação dos direitos do presidente Carlos Eduardo Pereira e fez questão de pedir respeito ao local da partida.

- Da parte do Flamengo não existe nada além da rivalidade natural. Não queremos brigar com ninguém. Nesse tempo você não vai encontrar nenhuma declaração minha hostilizando o Botafogo. Vamos ao Engenhão e todos os torcedores do Flamengo e do Fluminense vão se respeitar. Temos que nos unir e proclamar a paz nos estádios - disse Bandeira de Mello.

- A relação com o presidente é excelente. O Botafogo tem seus direitos e pode lutar pelo que acha justo. Cada clube precisa reivindicar seus direitos - reforçou Pedro Abad, em seguida.

Em reunião na Ferj, na quarta-feira, o presidente alvinegro exigiu que a liminar fosse cumprida e que o clássico tivesse torcida única. Consequentemente, era contra presença da torcida rubro-negra no Nilton Santos.





A final da Taça Guanabara, portanto, terá torcida mista no estádio Nilton Santos. Na última partida do Flamengo no local, cadeiras e banheiros foram quebrados e o fato irritou a diretoria alvinegra. Recentemente, o presidente criticou o clube da Gávea e disse que seria 'impossível trabalhar em conjunto'.

E MAIS: