Presidente do São Paulo, Júlio Casares se manifesta sobre ato de vandalismo antes da partida contra o Coxa

Thomas Savoia
·2 minuto de leitura

Após ataque ao ônibus do São Paulo antes da partida de ontem pelo Campeonato Brasileiro, o presidente do clube Júlio Casares emitiu uma nota em repúdio ao acontecimento. Os 14 vândalos presentes no atentado usaram pedras e bombas e foram detidos.

Em um trecho da nota, Casares afirmou que "vai fazer de tudo ao seu alcance para ajudar as autoridades na identificação dos autores de tamanha atrocidade".

"O clube não medirá esforços para que os autores de tamanha atrocidade sejam responsabilizados. Na condição de representante do nosso São Paulo, farei tudo a meu alcance para que casos como esse não se repitam", afirmou o mandatário.

Fernando Nascimento/Photopress/Gazeta Press
Fernando Nascimento/Photopress/Gazeta Press

Veja abaixo a nota do presidente:

“O ataque que a delegação do São Paulo Futebol Clube sofreu caminho do estádio do Morumbi é um ato inadmissível e que jamais deve ser tolerado. Estava com a nossa delegação no ônibus e posso testemunhar que o saldo poderia ter sido ainda pior. Por sorte, ninguém se feriu.

Nossa prioridade neste momento é dar todo suporte necessário a jogadores, membros da comissão técnica e demais funcionários que foram vítimas do ocorrido. A vida e a integridade física de nossos colaboradores não tem preço e é inaceitável que sejam colocadas em risco.

O clube não medirá esforços para que os autores de tamanha atrocidade sejam responsabilizados. Na condição de representante do nosso São Paulo, farei tudo a meu alcance para que casos como esse não se repitam.

Para isso, já determinamos à Câmara Setorial de Segurança, na figura do Doutor Luís Lanfredi, que acompanhe os desdobramentos com afinco e proporcione às autoridades todo o suporte necessário que cabe ao clube.

Reitero que estou à disposição dos nossos funcionários para apoiá-los e protegê-los.”