Presidente do Palmeiras analisa administração, elogia ‘meninos de ouro’ e fala sobre Libertadores

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·2 minuto de leitura


Às vésperas da estreia do Palmeiras no Mundial de Clubes da Fifa, o presidente do Verdão, Maurício Galiotte, concedeu uma entrevista aos repórteres Danilo Lavieri e Thiago Ferri, do UOL, na qual analisou a sua administração e a situação financeira do Verdão.

– A gente sabe como o palmeirense é exigente, minha família toda é de torcedores do Palmeiras. Mas o clube foi campeão da Copa do Brasil em 2015, do Brasileirão em 2016, vice do Brasileirão em 2017, campeão brasileiro em 2018, ficou em terceiro lugar em 2019 e agora ganhamos o Paulista e a Libertadores. Pô, se a gente analisar, o projeto deu certo. Passava na cabeça de vocês tudo isso que eu estou dizendo há seis anos? Mesmo assim foi uma enxurrada de manifestações. Eu entendo o papel do torcedor, mas em alguns momentos foi exagerado.

>> Confira a classificação atualizada do Brasileirão e faça sua simulação
>> Moleza ou nem tanto? Lembre como foram as semifinais dos sul-americanos em Mundiais desde 2005

Maurício Galiotte
Maurício Galiotte

Maurício Galiotte comemorando o título da Libertadores (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

- O Palmeiras hoje é um clube equilibrado financeiramente. Temos a Crefisa, importantes fontes de recursos e distintas, temos a arena, receitas de TV, fornecimento de material esportivo. Todas essas fontes são importantes e consistentes. Nós teremos essas receitas por muito tempo. Temos os meninos da base que são um ativo intangível. Esses meninos valem ouro. Eu quero contar com eles esportivamente. Dobrei o investimento da base em relação aos anos anteriores - afirmou o mandatário.

O cartola falou, também, sobre a vontade de manter as Crias da Academia, fundamentais na temporada alviverde, mas ponderou que não pode prometer que conseguirá.

– O meu desejo pessoal é não vender os meninos neste momento. São jovens, acabaram de subir, ainda têm muito a contribuir, muitas alegrias a proporcionar ao nosso torcedor. Nós temos que terminar o ciclo para pensar em vender os meninos. Por outro lado, não temos o controle da pandemia, de tudo que está acontecendo hoje. Estamos vendo vários mercados sendo afetados, como o nosso. Garantir que a gente, em hipótese nenhuma, vá fazer uma negociação, a gente não pode. Mas posso expor meu desejo, de manter os meninos para cumprir um ciclo. E este ciclo está no início - avaliou.

Com Galiotte na presidência, o Palmeiras foi campeão do Brasileirão, Campeonato Paulista e Libertadores. Atualmente, o time está em Doha, no Catar, onde disputa o Mundial de Clubes da Fifa.