Presidente do Olympique de Marselha vai entrar na justiça após ameaça de morte

AFP
O presidente do Olympique de Marselha, Jacques-Henri Eyraud, durante uma coletiva de imprensa, no dia 4 de setembro de 2019, em Marselha
O presidente do Olympique de Marselha, Jacques-Henri Eyraud, durante uma coletiva de imprensa, no dia 4 de setembro de 2019, em Marselha

O presidente do Olympique de Marselha, Jacques-Henri Eyraud, recebeu ameaças de morte nas mídias sociais nesta quarta-feira, e disse em entrevista à AFP, que vai entrar na justiça.

"Vou abrir uma ação amanhã (quinta-feira)", disse o dirigente, depois de receber uma mensagem explícita no twitter, na qual seu endereço em Marselha aparecia, adiantou o jornal L'Equipe. "Infelizmente é assim", acrescentou.

Muitas vezes vaiado no estádio Vélodrome, Eyraud é frequentemente atacado nas redes sociais por torcedores do clube mais popular da França.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Com a hashtag "#PrimeSurLaTeteDeJHE", algo como "cabeça de JHE a prêmio", um dos tuítes, dizia: "Quem está louco para ir à Commanderie (centro de treinamento do Olympique), esperar o JHE sair, nós o seguimos e o bloqueamos, um saco na cabeça, fita na boca, três balas na cabeça, afogado com 50kg de correntes nos pés".

O autor do tuíte removeu a postagem e publicou outra em que reconhecia que se tratava "de um tuíte estúpido em busca de alvoroço". "É claro que apresento minhas desculpas à pessoa atingida, se ela levou minha irritação ao pé da letra", acrescentou.

"Nunca na minha vida faria nada à pessoa em questão, @jheyraud. Minha raiva só continuará sendo manifesta por meio de um boicote ao estádio do Vélodrome e aos produtos do OM", garantiu o torcedor.

A ameaça de morte ocorre após a coletiva de imprensa dada nesta quarta por André Villas-Boas, na qual o treinador português, muito popular entre a torcida do Olympique, expressou seu desejo de que o clube não vendesse nenhum de seus jogadores nesta janela de mercado de inverno.

Leia também