Presidente do Lyon reclama: 'Foi precipitado terminar o Francês'


Maior crítico do fim da temporada do Campeonato Francês, o que acabou prejudicando muito a sua equipe, Jean Michel Aulas, presidente do Lyon, voltou a soltar o verbo nesta quarta-feira. Em entrevista ao diário francês L'Équipe, ele disse que a Ligue 1 foi precipitada ao encerrar a competição por causa da pandemia do novo coronavírus.

- As coisas estão ficando mais claras. Quase dez países europeus, incluindo Alemanha, Portugal, Itália e Turquia começaram a treinar novamente. Então, podemos realmente pensar. Ao adaptar nossos métodos, provavelmente poderíamos ter terminado o nosso campeonato - disse.



Ele deixou claro que há datas para o término da competição, pois a Uefa aceitou um adiamento do fim da temporada 2019/20 e que o prejuízo para o futebol francês será milionário:

- Estamos no caminho errado, pode não ser tarde demais para tentar imaginar, à luz do que está acontecendo em toda a Europa, algo politicamente coerente: tínhamos até o início de setembro para terminar. Fiz um cálculo: as perdas, para o futebol francês, chegariam a 700 milhões de euros (R$ 4,4 bilhões) por causa dessa decisão. A grosso modo, na última temporada, o campeonato gerou 409 milhões (R$ 2,5 bi) de parceiros e patrocinadores. Pode-se imaginar que perderíamos uma quantia da ordem de 50 a 85 milhões de euros (de R$ 308 a R$ 524 milhões). A perda dos direitos de TV é de 250 a 300 milhões de euros (R$ 1,5 bi a R$ 1,8 bi). A perda da bilheteria provavelmente cerca de 20 milhões (R$ 123 milhões).

Aulas diz que com esse argumento ele não coloca a questão econômica como prioritária à frente da saúde.

O que não devemos, sob o pretexto da saúde, parar um campeonato e fixar uma regra do jogo que não seja a correta. Isso significaria que há, por trás, um certo número de interesses que não têm nada sanitário - disse Aulas, para concluir:

- As decisões tomadas podem levar o futebol francês a uma situação catastrófica. É um grito de alarme.

Como terminou o campeonato

O Francês foi interrompido em março e, há dias, os organizadores definiram pelo fim da competição. O motivo: o presidente da república Emmanuel Macron divulgou que nenhum evento com presença de público relevante poderia acontecer no país antes de setembro.

Com isso, o Paris Saint Germain foi consagrado o campeão; Olympique de Marselha e Rennes, que vieram a seguir, conquistaram vagas na Champions. O quarto colocado Lille se garantiu na Liga Europa. Ainda restam duas vagas em aberto. Elas podem ser de Nice e Reims, quinto e sextos colocados (o Lyon terminou em sétimo).

Mas o Saint Etienne (que jogará a final da Copa da França com o Paris Saint Germain) ou o Lyon (que jogará a final da Copa da Liga da França também com o PSG) ficarão com as vagas caso sejam campeões.























Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também