Presidente do Grêmio sofre novamente pressão para ser candidato ao governo do RS

JEREMIAS WERNEK
Folhapress

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS) - Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio, está de novo no centro do noticiário do PDT (Partido Democrático Trabalhista) do Rio Grande do Sul. Líderes gaúchos do partido asseguram, nos microfones e fora dele, que o dirigente gremista será candidato a governador em 2022. Bolzan, nas redes sociais, negou a candidatura ao Palácio Piratini.

Romildo é presidente do Grêmio desde 2015 e tem mandato até dezembro de 2022.

O sucesso como dirigente à frente do Grêmio, o perfil conciliador e o histórico com três mandatos de prefeito em Osório, município do litoral norte gaúcho, sustentam a possível candidatura. O nome de Bolzan é visto como unanimidade no PDT gaúcho e forte o suficiente para desbancar concorrentes de outros espectros políticos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A pressão para a disputa pelo cargo máximo da política no Rio Grande do Sul existe há tempos, inclusive com falas de Ciro Gomes -candidato à presidência em 2018- e Carlos Lupi, presidente nacional do PDT. O mais recente movimento nesse sentido veio de um aliado próximo: Pompeu de Matos.

Matos e Romildo fizeram parte da diretoria do PDT gaúcho. Também alternaram o cargo de presidente do partido no Rio Grande do Sul nos últimos anos. E foi da boca do ex-vice de Bolzan que saiu a nova página da novela.

"Temos que consolidar esse projeto de município a município para que, na eleição de 22 [2022], tenhamos o Romildo [como] nosso candidato a governador, e isso já definido internamente, estamos resolvidos", disse Pompeu de Matos em entrevista ao programa La Regional, de Frederico Westphalen, norte do Rio Grande do Sul.

A declaração de Matos veio em meio à resposta sobre a política do município. Ou seja, não abordou a candidatura ao Palácio Piratini e nem o nome de Romildo Bolzan Jr.

"Ele foi prefeito de Osório, presidente do Grêmio, foi presidente do PDT gaúcho, cargo que ocupo. Eu ocupei, entreguei a ele e depois ele entregou a mim. Eu fui vice dele na direção do PDT. É uma grande figura humana, grande gestor. É o melhor gestor clubístico do Brasil e um dos melhores do mundo, nem sou eu que digo isso e sim a mídia especializada", adicionou o presidente do PDT gaúcho.

No Grêmio, a declaração foi vista como nova pressão pública para que Romildo assuma a pré-candidatura ao governo do Rio Grande do Sul. No Twitter, o presidente gremista negou a condição.

"A afirmação do Presidente Estadual do PDT de que serei candidato a governador em 2022 não atende aos interesses do Grêmio nos desafios que tem neste momento de dificuldade no futebol. Razão pela qual afirmo a total impossibilidade deste debate", escreveu.entend

Aos apoiadores da candidatura ao governo do Rio Grande do Sul, o trecho "neste momento" chamou a atenção e foi interpretado como porta aberta para o futuro.

Romildo Bolzan Jr. foi responsável direto pelos dois acordos do clube com jogadores em meio à pandemia. O dirigente também teve papel de protagonista nas renovações de Renato Gaúcho a partir de 2017.

Leia também