Presidente da Federação Francesa dos Esportes de Gelo renuncia após escândalo

AFP
O presidente da Federação Francesa de Esportes de Gelo (FFSG), Didier Gailhaguet, anuncia sua demissõa diante da imprensa, no dia 8 de fevereiro de 2020 em Paris
O presidente da Federação Francesa de Esportes de Gelo (FFSG), Didier Gailhaguet, anuncia sua demissõa diante da imprensa, no dia 8 de fevereiro de 2020 em Paris

O presidente da Federação Francesa de Esportes do Gelo (FFSG), Didier Gailhaguet, anunciou sua renúncia neste sábado (8), em meio ao escândalo de violência sexual envolvendo patinadoras.

"Com objetivo da pacificação, tomo com filosofia, dignidade, mas sem ressentimento, a sensata decisão de renuncia", declarou ele à imprensa na saída de um conselho extraordinário, pondo fim a um longo reinado que começou em 1998, com um parêntese entre 2004 e 2007.

Além disso denunciou "a ditadura ministerial e especialmente a vergonhosa ameaça de uma retirada da autorização" à federação por parte da ministra dos Esportes Roxana Maracineanu, que havia exigido sua demissão na última segunda-feira.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Há mais de uma semana, o esporte francês vive mergulhado em uma crise sem precedentes, desencadeada por uma onda de acusações de violência sexual.

Várias ex-patinadoras acusaram três treinadores de terem abusado delas entre o final dos anos 1970 e o início dos anos 1990, quando eram adolescentes.

A ministra Maracineanu apontou a responsabilidade de Gailhaguet na volta ao circuito de patinação de Gilles Beyer, apesar de uma investigação administrativa no início dos anos 2000, por atitudes impróprias com patinadoras.

Didier Gailhaguet, de 66 anos, sempre garantiu não ter protegido Beyer.

A presidente do conselho da federação, Maryvonne Del Torchio, assumirá o cargo provisoriamente.

Leia também