Presidente da Fifa mostra confiança em ajuda de vídeo a árbitros na Copa

Por Martyn Herman
Presidente da Fifa Infantino concede entrevista em Zurique. 10/1/2017. REUTERS/Arnd Wiegmann

Por Martyn Herman

LONDRES (Reuters) - A ajuda por vídeo para os árbitros pode ser uma realidade na Copa do Mundo da Rússia, no ano que vem, apesar dos problemas apontados quando o recurso foi testado no Mundial de Clubes, disse o presidente da Fifa, Gianni Infantino, nesta sexta-feira.

Em declarações dadas no estádio de Wembley durante o encontro anual da International Football Association Board (IFAB), Infantino disse que todos os juízes que provavelmente apitarão na Rússia no ano que vem foram testados com a tecnologia conhecido como VAR.

"Os sinais são encorajadores. Os pequenos tropeços que vimos têm a ver com o treinamento dos árbitros", disse Infantino a jornalistas.

"É realista (para a Copa do Mundo), por causa das experiências que tivemos no Mundial de Clubes no Japão em dezembro", acrescentou.

"Para os principais árbitros, não é uma grande mudança e eles aprenderam muito rapidamente. Estou muito confiante em relação a isso... Usar o VAR não vai permitir a perfeição nas decisões, mas não há pontos negativos. Quando for usado, você sabe que a decisão correta será tomada."

A IFAB, órgão responsável por fazer as regras do futebol, concordou em permitir os testes do VAR no ano passado. O recurso permite aos árbitros consultarem um árbitro que tem acesso a imagens de vídeo em quatro cenários que "mudam a partida": quando um gol é marcado, decisões sobre marcação de pênaltis, expulsões e enganos na identidade de um jogador.

O recurso de vídeo na arbitragem já é usado no rúgbi e no críquete.

O experimento com o VAR no Mundial de Clubes da Fifa em dezembro será lembrado pelo incidente em que um gol marcado por Cristiano Ronaldo para o Real Madrid, o 500º de sua carreira, contra o América do México foi inicialmente concedido, depois potencialmente anulado por impedimento, e finalmente confirmado depois da análise por vídeo.