Presidente da Fifa é criticado após afirmar ter enfrentado discriminação

Discurso de Gianni Infantino é criticado nas redes sociais (Foto: FRANCK FIFE / AFP)


A entrevista concedida pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino, na manhã deste sábado, para rebater as críticas à Copa do Mundo no Qatar, causou indignação por parte de usuários das redes sociais além de alguns jornalistas nacionais e internacionais. O mandatário foi criticado após afirmar que sabe "como é ser discriminado, porque tinha cabelo ruivo e sardas".

- Eu sinto, eu sei como é ser discriminado, como é ser tratado como um estrangeiro. Como criança na escola eu sofria bullying, porque eu tinha cabelo ruivo e sardas. Eu era italiano, então imagine, eu não falava bom alemão. O que você faz? Você vai para o seu quarto, fica mal, chora. E então tenta fazer amigos, tenta convencer os amigos a se relacionar com outros e outros. Não acusa, não insulta. Você começa a se engajar. E isso é o que nós deveríamos fazer - disse o presidente da Fifa.

+ Copa do Mundo: presidente da Fifa comenta proibição da cerveja e diz que torcedores 'vão sobreviver'

Ao mesmo tempo, após a fala de Infantino, o diretor de relações com a imprensa da Fifa, Bryan Swanson, encerrou o discurso na coletiva se declarando gay. Além disso, o dirigente afirmou que a entidade máxima do futebol é inclusiva e se preocupa com as pessoas de todas as orientações sexuais.

- Esforço excepcional de Gianni Infantino para ver quantas coisas absurdas, prejudiciais, enganosas, desequilibradas e totalmente desrespeitosas ele consegue encaixar em um endereço. Repulsivo. Perigoso. Danos. No entanto, este é um homem sendo reeleito como chefe da FIFA sem oposição - escreveu a repórter sul-africana da Sky Sports, Melisse Reddy, em sua conta no Twitter.