Presidente da Federação Francesa de Futebol se afasta do cargo em meio à auditoria

.

PARIS(Reuters) - O presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noel Le Graet, está deixando suas funções até a conclusão de uma auditoria sobre acusações de assédio, e o vice-presidente Philippe Diallo foi nomeado interinamente para o cargo, disse a entidade nesta quarta-feira.

Noel Le Graet, em acordo com o Comitê Executivo da FFF, "decidiu se afastar de suas funções como presidente da federação até que auditoria ordenada pelo Ministério do Esporte seja definitivamente comunicada, e aguarda sua análise pelo Comitê Executivo da FFF", disse a federação em nota nesta quarta-feira, após uma reunião de urgência do comitê.

Le Graet, de 81 anos, está sendo acusado de assédio sexual, o que ele nega, e também tem sido alvo de críticas por jogadores e políticos após comentários sobre o ícone do futebol francês e vencedor da Copa do Mundo de 1998, Zinedine Zidane.

O executivo também foi criticado por prorrogar o contrato do técnico da França, Didier Deschamps, até 2026. O mandato de Le Graet à frente da FFF expira dois anos antes.

A federação acrescentou que o contrato foi validado pela comissão executiva nesta quarta-feira.

Le Graet assumiu o cargo em 2011. Ele é ex-prefeito de Guingamp e ex-presidente do clube de futebol da cidade que, sob seu comando, conquistou a Copa da França de 2009.

Em setembro do ano passado, o Ministério do Esporte ordenou uma auditoria na federação, após a revista So Foot relatar que Le Graet supostamente assediou várias funcionárias. A FFF disse que abriria um processo por difamação contra o veículo.

(Por Julien Pretot)