Presidente da Conmebol aborda luta para garantir transparência na entidade

'O futebol sempre une, nunca divide. O futebol gera empatia, nunca intolerância', diz Domínguez (Foto: Reprodução / Conmebol)


O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, divulgou um vídeo à Assembleia Geral da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) no qual trouxe reflexões sobre futebol, jornalismo e projetou a Copa do Mundo. O dirigente afirmou que utiliza na Confederação Sul-Americana de Futebol a mesma bandeira de transparência que ergueu quando era membro quando era vice-presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa do Paraguai.

Neste sentido, Domínguez destacou que apesar da Conmebol ter recuperado milhões de dólares que foram retirados da entidade em escândalo de corrupção, ainda há muito para recuperar ao futebol sul-americano. Aos seus olhos, a imprensa tem papel fundamental ao investigar e esclarecer a rota do dinheiro desviado por líderes anteriores e os papéis que indivíduos, bancos e empresas tiveram nestes casos de corrupção.



Desde 2017, existe no Ministério Público do Paraguai uma investigação que envolve bancos que operam no mercado paraguaio, casos do Banco Atlas (pertencente ao Grupo Zuccolillo) e o Banco do Brasil, entre outras empresas, de acordo com a Conmebol.

O mandatário da Conmebol também falou sobre a Copa do Qatar:

- O futebol sempre une, nunca divide. O futebol gera empatia, nunca intolerância. O futebol abre portas. É a magia da bola que nos permite entrar e conhecer culturas que parecem fechadas. O futebol é uma ponte que conecta pessoas, países e culturas. Não há ninguém melhor para atravessar essa ponte do que o jornalismo, para contar histórias humanas, para mostrar diferenças e semelhanças culturais com um espírito respeitoso e construtivo - declarou.