Presidente da Católica diz que banirá torcedor após gesto racista à torcida do Flamengo: 'Não há espaço'


O presidente da Universidad Católica, Juan Tagle, se pronunciou logo depois de o clube pedir ajuda, através das redes sociais, para identificar torcedores que foram flagrados cometendo atos de vandalismo, com pedras e sinalizadores atirados, e racismo em direção à torcida do Flamengo, durante jogo pela Libertadores, no Estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago, no Chile. O Flamengo venceu o jogo por 3 a 2.

Especificamente sobre o ato de racismo, em que um torcedor fez gestos de um macaco em direção à torcida do Flamengo, o presidente da Católica escreveu o seguinte:

- Que seja identificado para aplicarmos proibição de admissão no clube. Não há espaço na Católica para isto - postou Juan Tagle.

Nas redes sociais, o goleiro Hugo Souza mostrou revolta e também cobrou providências.

> Veja a tabela da Libertadores

A Conmebol, por enquanto, não se pronunciou sobre os atos racistas, o que ocorrerá ao longo do dia, segundo o LANCE! apurou.

Racista faz gestos de macaco para a torcida do Flamengo
Racista faz gestos de macaco para a torcida do Flamengo

Torcedor imita macaco em direção à torcida do Flamengo (Foto: Reprodução/Twitter Flamengo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos