Presidente do Coxa ataca a FPF após Atletiba que não aconteceu

Gazeta Press

O Atletiba histórico que não teve bola rolando neste domingo, na Arena da Baixada, pela quinta rodada do Campeonato Paranaense, ainda terá muitos desdobramentos. O presidente do Coritiba, Rogério Bacellar, defende a posição dos clubes, que em parceria transmitiria a partida pelo Youtube, e ataca a Federação Paranaense de Futebol (FPF), que alega falta de credenciamento mas, em nenhum momento, tomou providências para tirar de campo quem estaria irregular, se limitando a avisar a arbitragem que o jogo não aconteceria naquelas condições.

“A posição do Coritiba é clara. É falta de vergonha na cara dos dirigentes da Federação. Estamos possibilitando aos sócios-torcedores que não tinham ingresso de gratuitamente ver o jogo na internet. Eles não têm esse direito de impedir de transmitir o maior clássico do futebol paranaense”, afirmou o dirigente em entrevista à rádio banda B, lembrando dos valores negociados com a televisão, muito abaixo de outros Estados. “Não tiveram condições de negociar melhor condições de transmissão e agora querer impedir a torcida de assistir nossos jogos”, completou.

Sem ainda uma definição se o Coxa entrará com alguma representação judicial contra a FPF, o presidente confirmou que fará uma reclamação junto à Confederação Brasileira de Futebol. “O departamento do Coritiba vai examinar o que poderá ser feito. Amanhã tem uma reunião na CBF e vamos falar sobre o descontentamento do Coritiba com a Federação Paranaense de Futebol”, disse.

Bacellar ainda confirmou que a entidade estava ciente da transmissão online e, se havia algum impedimento, deveria ter aviado antes, com com o estádio cheio e a bola pronta para rolar. “A Federação era sabedora. Fazia mais de 15 dias que estávamos idealizando esse projeto. E toda imprensa do Brasil divulgou. Se fosse um Federação que olhasse os clubes de outra maneira, poderia ter alertado de qualquer forma”, concluiu.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também