Presidente do COI pede "vigilância e paciência" antes dos Jogos de Tóquio

AFP
O presidente do COI, Thomas Bach, em Lausane, na Suíça, 24 de março de 2020
O presidente do COI, Thomas Bach, em Lausane, na Suíça, 24 de março de 2020

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, pediu neste sábado (16) que se mantenha "a vigilância e a paciência" nos preparativos para os Jogos de Tóquio, adiados para julho de 2021 devido à pandemia do coronavírus.

Bach se pronunciou depois de uma reunião do COI com a Organização Mundial da Saúde (OMS), presidida por Tedros Adhanom Ghebreyesus, na qual as duas entidades assinaram um acordo de cooperação para promover a saúde na sociedade através do esporte e para contribuir na prevenção de doenças não transmissíveis.

"Temos um ano e dois meses pela frente até os Jogos e tomaremos todas as medidas necessárias no momento adequado, confiando no assessoramento da OMS", respondeu Bach ao ser questionado sobre como o COI lideraria com a disputa de modalidades olímpicas que envolvem contato físico caso ainda não exista uma vacina contra a COVID-19 em julho do ano que vem.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"No momento ninguém pode dar uma resposta crível de como será o mundo em julho de 2021", completou Bach.

"É por isso que temos que nos manter vigilantes, ter paciência e, ao mesmo tempo, tomar as medidas corretas para garantir a participação segura de todos nos Jogos", completou o presidente do COI.

A pandemia do coronavírus, que provocou a morte de mais de 307.000 pessoas no mundo e mais de 4,5 milhões de infectados, obrigou o COI a tomar a histórica decisão de adiar os Jogos de Tóquio de 2020 para 2021.

Leia também