Presidente do COI elogia Simone Biles por 'coragem'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
A ginasta americana Simone Biles
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, descreveu Simone Biles como "corajosa", nesta sexta-feira (30), em Tóquio, depois que a ginasta americana se retirou da final por equipes e desistiu da disputa do individual geral, devido à ansiedade gerada pela grande expectativa.

"Por um lado, ela admitiu ter problemas, só por isso já é corajosa. E, ao mesmo tempo, aplaudiu suas companheiras e esteve presente para apoiar aquela que a sucederia no restante da disputa no concurso geral", declarou Bach, em um encontro com agências de notícias.

"Quem há um ano teria admitido ter problemas de saúde mental? São grandes qualidades humanas", acrescentou Bach.

Na terça-feira, Biles retirou-se da competição geral por equipes devido à grande pressão que precisava administrar. Um dia depois, ela desistiu da defesa do título olímpico do individual geral programada para quinta-feira.

Durante a final do 'all-around' ela marcou presença nas arquibancadas para apoiar as americanas e parabenizar sua compatriota Sunisa Lee, que levou a medalha de ouro.

Nesta sexta-feira, a superestrela afirmou que tem dificuldades "literalmente em cada aparelho", o que aumenta as dúvidas sobre seu retorno.

Além das dificuldades psicológicas, Biles citou o que as ginastas chamam de "twisties", uma perda da consciência total do espaço, situação que às vezes se agrava com o estresse e que pode colocar as atletas em perigo.

Os problemas de referências no espaço ameaçam a participação de Biles nas finais do salto e das barras assimétricas no domingo, do solo na segunda-feira e da trave na terça-feira.

"Para os que dizem que desisti, eu não desisti. Não desisti, minha mente e corpo simplesmente não estão em sincronia, como vocês podem ver aqui", disse.

"Tive a oportunidade de trocar algumas palavras com ela depois da competição por equipes. Admiro sua maneira de lidar com a situação", acrescentou o presidente do COI.

De maneira mais geral, Bach falou sobre os problemas de saúde mental que afetam os atletas de ponta. Além de Simone Biles, várias estrelas revelaram seus problemas psicológicos, como a tenista japonesa Naomi Osaka.

- 'Alerta todos os dias' -

"A saúde mental é um grande desafio durante esta pandemia e não apenas nos esportes. Somos confrontados com dois fatores, o desafio da pandemia e a pressão dos atletas. Devemos fazer todo o possível com os atletas e organizações esportivas nacionais nos países para ajudá-los", comentou.

"Temos conversado com associações e tentamos pressionar os governos a explicarem a importância do esporte na saúde física e mental", continuou.

Por fim, abordou a situação sanitária, quando o número de casos positivos de covid-19 entre as pessoas ligadas aos Jogos (atletas, dirigentes, funcionários e jornalistas) chegou a 220, o que representa 26 a mais nas últimas 24 horas.

“Devemos estar alertas todos os dias, não podemos dizer depois de sete dias de Jogos que a luta contra a covid-19 acabou. É um esforço diário, então fazemos testes diários nos atletas. No total foram 350 mil realizados na comunidade olímpica, com 0,02% positivo, o que é muito baixo”, analisou.

th-ep/pm/psr/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos