Presidente do Botafogo em 95, Montenegro explica planejamento do título: 'Nenhum. Foi uma bagunça'


Um título na base da superação. Desta forma que o Botafogo de 1995 pode ser definido. A equipe comandada por Paulo Autuori, campeã brasileira naquele ano, começou a temporada com problemas financeiros, mas superou as dificuldades e superou o Santos para, em dezembro, levantar o troféu.

Em live realizada com Sérgio Manoel, Gonçalves, Túlio e Wagner para relembrar a conquista de 25 anos atrás, realizada neste domingo, Carlos Augusto Montenegro, explicou, de forma cômica, como foi feito o planejamento daquela equipe antes do Campeonato Brasileiro começar.

- Nenhum. Absolutamente nenhum. Foi uma bagunça. Eu não conhecia o Paulo Autuori, o Gottardo que falou que ele era gente boa. Me ajudaram, trouxeram o Donizete lá do México, o Antônio conseguiu o Jamir e ainda veio o Iranildo. Eu tinha ligado pro Calçada e ofereci uma troca, aproveitei que o Eurico tava na Europa, e aí veio o Leandro Ávila. O time montou. Profissionais com muito caráter e dedicação. Profissionalismo do começo ao fim. Demos sorte porque não tínhamos um elenco muito grande, mas graças a Deus ninguém se machucou - afirmou.



O dirigente, que possui envolvimento até com a atual diretoria do Botafogo, afirmou que viu que a equipe poderia ser campeã em 1995 após uma derrota. No final, a Estrela Solitária brilhou.

- Tivemos duas derrotas sinalizadoras de título. O 5 a 3 contra o Cruzeiro, o Paulinho McLaren tava encapetado, mas vocês jogaram como campeões. Teve outro jogo também. Pegamos um voo fretado, em Presidente Prudente, e perdemos de 2 a 1 para o Palmeiras, que tinha um timaço. Depois do jogo, o presidente do Palmeiras veio comigo e falaram que a gente tinha um time para disputar campeonato. Eu pensei que eles estavam consolando. Mas depois vi que era sério - completou.



Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também