Presidente do Barcelona anuncia demissão do cargo

·2 minuto de leitura
O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu (C), numa partida no Camp Nou
O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu (C), numa partida no Camp Nou

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, anunciou nesta terça-feira  sua demissão e de toda diretoria do clube espanhol, antes de ser submetido a votação de uma moção de censura. 

“Venho anunciar a minha demissão e a do resto do conselho de administração”, disse o presidente durante reunião de emergência com o Conselho Administrativo do Barça, na qual acrescentou que “é uma decisão ponderada e serena, consultada e acordada por todos os colegas”.

Bartomeu, que assumiu o cargo em 2010 e foi reeleito em 2015, afirmou ter tomado a decisão por não ter condições de realizar a votação da moção de censura nas condições que o conselho considera adequadas. 

Bartomeu e sua diretoria alegaram que precisavam de pelo menos 15 dias para organizar o evento conforme as medidas de segurança sanitária necessárias por conta da pandemia de covid-19, por isso queriam realizar a votação nos dias 15 e 16 de novembro, em vez de 1º de novembro, conforme indicado pelo estatuto da entidade. 

O clube pediu assim "cobertura legal" ao governo regional, mas (os dirigentes regionais) "optaram por lavar as mãos numa situação que lhes desagrada, sem pensar nas consequências que a sua decisão pode acarretar", criticou Bartomeu. 

O governo regional afirmou que não haveria problemas para realizar o pleito nos dias 1 e 2 de novembro, data em que, segundo o Barça, a votação só poderá ser feita no Camp Nou, o poderia gerar aglomeração de pessoas num momentoto de resurgimento da segunda onda da pandemia do coronavírus. 

- Crise gerada após decisão de Messi -

Em meados de setembro, a oposição a Bartomeu apresentou 16.521 assinaturas necessárias para iniciar a votação da moção de censura ao dirigente. De acordo com os estatutos do Barça, para dar entrada a um pedido de moção, era necessário que pelo menos 16.521. 

O empresário Jordi Farré, candidato à presidência do clube nas eleições marcadas para março de 2021, apresentou uma moção de censura contra Bartomeu e sua gestão em 26 de agosto, um dia depois do jogador argentino Lionel Messi anunciar que queria sair do Barcelona, decisão que ele abandonou em setembro. 

Depois de iniciado o processo, Farré recebeu o apoio dos demais candidatos à presidência Victor Font e Lluis Fernández Ala.

As eleições para a presidência do Barça estão marcadas para 20 e 21 de março de 2021.

dbh-gr/mcb/lca