Presidente do Atlético-MG lamenta falta de jogos no Mineirão: 'A prioridade tinha que ser o futebol'

Dirigente lembrou, também, que é possível que a partida da terceira fase da Libertadores não seja no Mineirão - (Foto: Bruno Sousa/Atlético-MG)


Após a estreia do Atlético-MG em 2023, que aconteceu com uma vitória contra a Caldense na Arena Independência, o presidente do Galo, Sérgio Coelho, lamentou o fato da partida não poder ter sido disputada no Mineirão. O Galo levou 22.030 torcedores ao estádio, público que segundo ele poderia ter sido maior, caso a parida fosse no Gigante da Pampulha.

- Aqui (Independência) é a nossa casa também. Já já, o Atlético terá três casas em Belo Horizonte (se referindo à Arena MRV). Mas esse é um jogo (contra a Caldense) que poderia ser no Mineirão, onde daria mais oportunidade para os torcedores comparecerem - disse o dirigente, em entrevista ao OTempo Sports.

+ Novidade no ar! Acompanhe as últimas negociações do Galo no mercado da bola

Em seguida Sérgio Coelho criticou a administração do Mineirão. Segundo ele, a prioridade do estádio tem que ser os jogos de futebol, e não os eventos artísticos. O mandatário atleticano lembrou, em tom de lamentação, que a estreia do Galo como mandante na Libertadores, marcada para 01 de março, pode não ser no Gigante.

- Lamentamos, pois o Mineirão, inaugurado em 1965, foi para atender ao futebol brasileiro. Claro que o local pode ter outros eventos, como show artísticos. Achamos que dá para fazer tudo, sim, mas a prioridade tinha que ser o futebol. Um clube como o Atlético, que terá um jogo de Libertadores, não pode perder o Mineirão para um show. Lamentamos essas decisões que são tomadas. No meu ponto de vista, sem fazer nenhuma crítica aos shows artísticos, o esporte precisa ter preferência, não exclusividade - complementou.

MUDANÇA RECENTE!

Inclusive, a Federação Mineira de Futebol (FMF) divulgou, nesta segunda-feira, que o clássico entre Cruzeiro x Atlético-MG, válido pela quinta rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro, também será no Independência. No entanto, a mudança, nesse caso, foi um pedido do time celeste, mandante no confronto.