Preparador físico acusa Argentina de ser "clube de amigos de Messi"

Por Daniel MEROLLA

Se a Argentina já estava em chamas com o perigo de não se classificar para a Copa do Mundo da Rússia-2018, outra polêmica, que acusa a seleção de ser "um clube de amigos de Lionel Messi", piorou a crise do futebol dos "hermanos".

Quem faz a acusação é um ex-preparador físico da seleção, Carlos Dibos, que indicou que o volante Javier Mascherano é o homem que maneja os nomes dos jogadores que Messi prefere ter ou não como companheiro.

"Existem sete ou oito jogadores que completaram seus ciclos e não podem sustentar o peso de vir (à seleção). É preciso acabar com a panela. Mascherano é quem entrega as fichas para se associar", acusou Dibos ao canal de televisão TyC Sports.

O veterano meia não demorou para responder, em tom agressivo: "Posso aceitar qualquer tipo de críticas sobre meu nível de jogo, mas não que me façam essas acusações", escreveu indignado em sua contra no Twitter.

Ninguém conta com todas as letras quem seriam os amigos de Messi. Mas em uma enquete publicada pelo jornal Olé, os mais negados foram Ezequiel Lavezzi, Sergio 'Kun' Agüero e Gonzalo Higuaín. Messi saiu ileso.

No tiroteio verbal entre Mascherano e Dibos, até José Luis Chilavert, ex-goleiro da seleção do Paraguai, se entrometeu: "se tiram os amigos de Messi, quem colocariam? Ficariam fora na primeira rodada".

- Uma bomba -

A ameaça de ficar fora do Mundial da Rússia foi o início da briga. A ressaca da derrota contra a Bolívia deixou a Argentina na quinta colocação das Eliminatórias, com direito a uma dramática repescagem contra uma seleção da Oceania.

A notícia da suspensão de quatro jogos do camisa 10 caiu como uma bomba no país. Foi a gota d'água, já que o time mal conseguia jogar bem e agora está sem craque, a única esperança da equipe.

Com Messi, a Argentina venceu cinco e perdeu apenas um jogo, enquanto sem o canhoto a seleção venceu só uma vez, empatou quatro e perdeu três partidas. As críticas começaram a cair sobre o treinador Edgardo Bauza. Ainda não se sabe se o comandante vai continuar à frente da seleção, depois da nova direção da Associação de Futebol Argentino (AFA) ter sido eleita na segunda-feira.

Messi insultou o bandeirinha da partida contra o Chile, vencida com um gol de pênalti duvidoso. A Argentina vai enfrentar o Uruguai, no estádio Centenário de Montevidéu, sem o craque. O camisa 10 também vai desfalcar contra Venezuela e Peru, ambos em casa, e vai poder voltar na última rodada contra o Equador, na altitude de Quito.

Dibos foi preparador físico entre 2006 e 2008. "Não acho ruim que um jogador converse com o técnico quando prefere alguém para ter ao seu lado, mas esse jogador tem que ter personalidade, valentia e levar o time nas costas. Esse era Diego Armando Maradona", concluiu.

"Lamento muito que o futebol argentino conte com gente desse nível de qualidade humana", disparou Mascherano.