Pratto lamenta confusão no Uruguai e critica futebol sul-americano

Um dos principais jogadores do atual elenco são-paulino, Lucas Pratto comentou sobre o episódio lamentável da briga entre palmeirenses e os uruguaios do Peñarol nesta quarta-feira, em Montevidéu, pela Copa Libertadores. O atacante argentino criticou o modo como o futebol é tratado no continente sul-americano, mas não se surpreendeu com o fato por conta da grande rivalidade entre os países vizinhos.

“[As brigas] dependem muito do que acontece dentro de campo, às vezes um jogador provoca o outro. O Felipe [Melo] ultimamente está em todos os problemas, mas são coisas de jogo, tem que tentar não brigar. Aqui na América do Sul há muita violência, insegurança. A briga passou para as torcidas, quando você faz algo dentro do jogo, isso pode acabar se transferindo para a parte de fora”, disse Pratto.

Lucas Pratto sabe muito bem como a catimba dos sul-americanos pode influenciar um jogo de futebol. Vindo da Argentina, o atacante está acostumado com uma conduta mais provocativa dos adversários, principalmente quando um confronto envolve times do Brasil, Uruguai ou Argentina.

“É também uma questão de rivalidade. Times uruguaios contra argentinos e brasileiros têm uma rivalidade especial. Justamente por isso o Palmeiras levou muitos seguranças para lá, a gente tenta não brigar no jogo, é um esporte, um espetáculo, mas às vezes são situações que fogem do controle. Não sei qual foi o motivo da briga, mas os jogadores muitas vezes provocam e deixam os rivais mais bravos”, completou.

Fora das finais do Campeonato Paulista e da disputa da Copa do Brasil, o São Paulo só volta a entrar em ação no próximo dia 11 de maio, quando recebe o Defensa y Justicia, da Argentina, pelo jogo de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana. Neste período de 14 dias, o técnico Rogério Ceni irá aproveitar para lapidar sua equipe, que não tem uma semana completa de treinos desde o dia 5 de fevereiro.

*Especial para a Gazeta Esportiva