Próximo da prisão perpétua, 'War Machine' pede perdão e visita de ex-namorada agredida

'War Machine' é ex-lutador do UFC e do Bellator - Divulgação

Conhecido por seu apelido no mundo das lutas, o americano Jon Koppenhaver está próximo de ser condenado à prisão perpétua nos EUA. Considerado culpado por 29 crimes contra a ex-namorada Christy Mack, incluindo tentativa de homicídio, tortura e sequestro, o americano finalmente parece ter caído na real.

Afinal, foram quase três anos de julgamento, em que permaneceu preso no estado americano de Nevada, até que o ex-lutador de MMA assumisse que errou e pedisse perdão para a vítima. Postura esta que foi adotada em suas redes sociais, que ficam a cuidados do seu advogado.

“Bem, as coisas não deram muito cero, certo? Você acreditaria em mim se eu dissesse que nada além de alegria em mim, mesmo com a certeza de que serei condenado à prisão perpétua? É verdade. Muitas vezes eu homens em celas próximas à  minha chorando após notícias como essa, mas como eu poderia fazer isso? […] Aceito essa falsa vida em troca da verdadeira que ainda virá. Fui abençoado. Se de alguma forma eu pudesse receber o perdão da Christy… Se eu soubesse que ela também foi salva, isso removeria o resto de manchas dessa tragédia. Christy,me desculpe pelo homem que eu fui. Me desculpe por machucar você. Um dia, quando tempo bastante tiver passado e quando suas ferida estiverem cicatrizadas, espero que você escreva para mim ou, quem sabe, me visite…”, narrou em texto que pode ser levado em consideração até o anúncio de sua punição.

Marcada para o dia 5 de junho, a audiência final que definirá o tempo que War Machine passará atrás das grades pode apontar para sua mudança de postura. Afinal, nos últimos anos o americano se negou a assumir a culpa por qualquer um dos crimes e recusou as propostas da promotoria, que ofereceram acordos com pena reduzida para minimizar o stress do julgamento para ambos os lados.