Pottker marca, e Ponte vence o Palmeiras em Campinas

Ponte Preta derrotou o Palmeiras por 1 a 0. Gol de William Pottker. Foto: Gazeta Press

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Palmeiras reprovou no último teste de Eduardo Baptista. Na noite desta quarta-feira (29), no estádio Moisés Lucarelli, a Ponte Preta derrotou o melhor time da fase de classificação do Campeonato Paulista pelo placar de 1 a 0, gol de pênalti anotado por William Pottker. O resultado tirou a invencibilidade de oito jogos e o conforto palmeirense na briga para decidir todas as fases de mata-mata como mandante.

Em uma formação mista, com até a surpreendente escalação de Erik entre os titulares, o Palmeiras sofreu com problemas de criação. Lento, a equipe pecou ofensivamente e ainda sofreu com os contra-ataques da Ponte Preta. Em um deles, William Pottker acabou derrubado por Zé Roberto dentro da área; o próprio camisa 9 ponte-pretano, na cobrança de pênalti, garantiu a vitória.

Com apenas a terceira derrota neste Estadual, o Palmeiras termina a etapa de grupos com 25 pontos, apenas um a mais do que o Corinthians, que superou o Linense também nesta quarta-feira. A Ponte Preta, com 22, acabou em segundo do Grupo D graças ao número de vitórias –uma a menos do que o líder Santos (superou o Novorizontino nesta noite).

O Palmeiras encarará neste final de semana –ainda em horário e data a serem definidos pela Federação Paulista de Futebol– o Novorizontino, fora de casa, sem os suspensos Vitor Hugo e Zé Roberto. A Ponte Preta, por outro lado, receberá o Santos pelo primeiro duelo quartas de final.

Além de anotar o gol da vitória ponte-pretana, Pottker se apresentou como o grande destaque da equipe mandante na noite desta quarta-feira. O camisa 9 se movimentou bastante, especialmente pela ponta direita, e sofreu o pênalti depois de jogada individual. Na cobrança, o próprio centroavante sacramentou o resultado.

Já Erik não aproveitou a chance como titular dada por Eduardo Baptista. O atacante teve atuação tímida e deixou a partida no meio da segunda etapa. Com Keno no lugar, o Palmeiras levou mais perigo e quase alcançou o empate nos acréscimos.

Dudu deixou a Arena Corinthians por volta das 1h desta quarta-feira, depois de participar da vitória por 3 a 0 da seleção brasileira sobre o Paraguai. Mesmo sem atuar nos dois duelos da Data Fifa, o capitão poderia ganhar um descanso, em virtude da confortável vantagem palmeirense na ponta do Paulista.

No entanto, o camisa 7 desde a madrugada disse que queria jogar. Contra a Ponte Preta, mais centralizado, tornou-se a principal referência de armação ofensiva da equipe de Eduardo Baptista.

A rodada desta quarta-feira definiu os oito classificados para as quartas de final do Campeonato Paulista. Os confrontos terão Palmeiras x Novorizontino; Corinthians x Botafogo-SP; São Paulo x Linense e Santos x Ponte Preta. Os quatro clubes de maior expressão, por liderarem as respectivas chaves, possuem o mando de campo do segundo jogo das quartas; os duelos da semifinal serão conhecidos apenas após a realização dos jogos. O melhor colocado, somando-se os pontos de todas as fases, vai enfrentar a equipe com a quarta melhor colocação. Os horários e datas serão definidos nesta quinta-feira, depois de reunião na Federação Paulista de Futebol.

Enquanto o Palmeiras dominou a posse de bola e procurou controlar a partida, a Ponte Preta acelerou o jogo. Entretanto, faltou eficiência. A equipe da casa verticalizou o jogo e apostou na velocidade dos próprios atacantes. Assim saiu a jogada que resultou no gol de pênalti de William Pottker, que recebeu longo lançamento, invadiu a área e parou somente após falta de Zé Roberto. Na batida, o próprio camisa 9 inaugurou o marcador aos 29min da etapa complementar.

Mesmo com a presença de Dudu mais centralizado, o Palmeiras pecou na qualidade da armação em Campinas. Lenta, a equipe enfrentou dificuldades para ultrapassar a defesa adversária e dependia de individualidades, como no arremate no travessão dado por Raphael Veiga. Erik, que ganhou uma chance entre os titulares, teve atuação tímida no interior de São Paulo.

O jogo acelerado e as bolas longas para Pottker, Lucca e Clayson se mantiveram neste início de trabalho de Gilson Kleina. Apenas no segundo jogo desta passagem pelo clube de Campinas, o treinador seguiu com a postura responsável por classificar a Ponte Preta para a fase de mata-mata; antes de Kleina, João Bigatti trabalhou como interino. O próximo desafio é contra o Santos, em dois jogos de quartas de final.

Eduardo Baptista usou a última rodada para também promover testes. A escalação de Erik exemplificou esta postura do treinador, que deixa Campinas sem muitas 'dores de cabeça'. Dentre os reservas, o próprio Erik somou mais uma atuação apagada pelo Palmeiras e deixou o jogo no meio do segundo tempo. Raphael Veiga, que começou bem, terminou o confronto de maneira tímida, assim como o restante do time.

A despedida da fase de grupos marcou a estreia de um dos novos palmeirenses para a temporada 2017. Depois de se destacar pela Chapecoense, Hyoran participou nesta noite do primeiro jogo pela equipe de Palestra Itália. O meia acabou inscrito somente no último final de semana, na vaga anteriormente ocupada pelo lesionado Arouca, e por pouco não debutou com gol. Nos acréscimos, o camisa 28 arrematou rasteiro, mas Aranha fez grande defesa.

PONTE PRETA

Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Fábio Ferreira e Jeferson (Reynaldo); Jadson e Elton; Clayson (Lins), Ravanelli (Wendell) e Lucca; Pottker

T.: Gilson Kleina

PALMEIRAS

Fernando Prass, Fabiano, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo; Róger Guedes, Raphael Veiga (Egídio), Dudu (Hyoran) e Erik (Keno); Willian

T.: Eduardo Baptista

Estádio: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)

Árbitro: Leandro Bizzio Marinho

Renda/público: 7.078 pagantes / R$ 134.520,00

Cartões amarelos: Marllon, Lucca (PON); Vitor Hugo, Zé Roberto e Erik (PAL)

Cartões vermelhos: Zé Roberto (PAL)

Gols: Pottker, aos 29 min do 2º tempo