Portugal precisa de mais do que show de Cristiano Ronaldo para bater Uruguai

Jogadores da seleção de Portugal durante treinamento no Catar

Por Martin Petty

DOHA (Reuters) - Portugal pode se classificar antecipadamente para a próxima fase da Copa do Mundo se vencer o Uruguai na segunda-feira, uma tarefa provavelmente muito mais fácil de ser dita do que executada.

O Uruguai tem a seu favor o histórico de ser bicampeão mundial, embora isso tenha ocorrido há várias gerações, e está mais do que familiarizado com Portugal, tendo eliminado os portugueses nas oitavas de final do Mundial da Rússia em 2018.

Embora Cristiano Ronaldo tenha roubado a cena na quinta-feira, estabelecendo um recorde ao marcar em sua quinta Copa do Mundo na vitória de Portugal por 3 x 2 sobre Gana, sua equipe careceu de inspiração e tem muito o que fazer para se livrar de uma sequência fraca de campanhas em Copas do Mundo desde que chegou à semifinal em 2006.

O Uruguai, apesar de não conseguir marcar nenhum gol ou até mesmo registrar nenhum chute no alvo em sua estreia contra a Coreia do Sul na quinta-feira, atuou compacto, organizado e como uma equipe capaz de outra campanha longa na Copa do Mundo, com veteranos e novatos combinando perfeitamente e movendo a bola com confiança.

Todos os cinco gols da partida de abertura de Portugal vieram em 25 minutos finais frenéticos, comparados pelo técnico Fernando Santos a uma tempestade. Ele disse que não tem problemas para o jogo contra o Uruguai porque sabe o que precisa ser consertado.

"Não é nada que me preocupe, porque sei que meus jogadores podem fazer melhor do que isso, mas isso é futebol", disse ele. "Estou totalmente confiante de que eles podem fazer muito melhor do que isso."

Portugal, que tradicionalmente deixa a decisão sobre sua classificação para as oitavas para os momentos finais da fase de grupos, deve buscar evitar que isso se repita agora, com a Coreia do Sul, seleção que eliminou a Alemanha em 2018, como adversária final da primeira fase.

Da mesma forma, o Uruguai vai querer evitar a derrota contra Portugal para que seu destino possa permanecer em suas próprias mãos na partida final contra Gana.

O Uruguai parece estar bem desde que o técnico Diego Alonso assumiu a equipe no final do ano passado e deu a volta por cima nas eliminatórias. Ele tem todos os jogadores disponíveis em seu plantel, exceto Ronald Araujo, do Barcelona, se recuperando de uma cirurgia na coxa.

A defesa de Alonso parecia robusta contra a Coreia do Sul e ele é abençoado com muitas opções de ataque através de Luís Suárez e Edinson Cavani --apesar de sua idade-- e Darwín Nuñez do Liverpool e Facundo Pellistri do Manchester United, que pareciam perigosos em suas estreias na Copa do Mundo.

Alonso espera um jogo duro na segunda-feira e que o grupo seja decidido na última rodada.

"Obviamente, o segundo jogo é fundamental, assim como o terceiro", disse ele. "Nos classificarmos ou não só depende de nós."