Portugal: João Félix nega peso maior nos jovens com Cristiano Ronaldo em campo e evita comparações com Kaká

João é o novo reforço do Chelsea até o fim da temporada (Foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP)


João Félix é um dos destaques de Portugal nesta Copa do Mundo. Com grande poder associativo e muita velocidade para iniciar os contra-ataques, seu estilo faz algumas pessoas o compararem com Kaká. No entanto, o atleta português tratou de abafar as analogias com o meia brasileiro.

+ Artilheiros da Copa do Mundo 2022: veja lista de jogadores que marcaram

- Acho que se nota que estou mais leve sim. Estou na minha primeira Copa, é a competição que todos sonham em disputar. É um sonho poder representar Portugal nesta competição e daí esta alegria toda. Respondendo à comparação, talvez seja um pouco demais. O Kaká ganhou tudo, foi Bola de Ouro, e eu ainda estou começando, mas claro que é bom ouvir esses elogios - disse o camisa 11 português.

+ Veja tabela e simule o mata-mata da Copa do Mundo

Recentemente, o zagueiro José Fonte afirmou que a seleção portuguesa joga de forma mais fluída sem Cristiano Ronaldo, e complementou dizendo que os jovens se sentem pressionados para passar a bola para CR7 quando o astro está em campo. Porém, o atacante do Atlético de Madrid se opôs à opinião emitida pelo defensor do Lille, da França, frisando que Portugal joga de maneira diferente com e sem o camisa 7 em campo.

- Não sinto isso, não sinto essa obrigação de passar a bola ao Cristiano. Procuramos sempre fazer o melhor em campo, passar quando é a melhor solução, mas cada um tem a sua opinião e interpreta o jogo da maneira que vê. Eu não sinto essa necessidade como o Fonte disse, mas ele têm as suas razões e eu respeito isso. Cristiano nos dá coisas que não temos quando não está, jogamos de maneira diferente, mas a equipa sempre está bem. Não é por ele estar ou não que a equipe vai estar melhor ou pior - ponderou.

MARROCOS E FUTURO NO ATLÉTICO DE MADRID

Pouco aproveitado por Simeone no Atlético de Madrid, João Félix garantiu foco total na seleção portuguesa e só irá decidir seu futuro no clube espanhol após a Copa do Mundo.

- São maneiras diferentes de jogar, mentalidades diferentes. Aqui jogo pelo meu país. Já jogo com alguns dos meus colegas há 10 anos, com o Dalot desde os 9 anos. São jogadores com os quais sempre estive habituado a jogar, falamos a mesma língua, jogamos juntos em outros clubes e seleções, e o fato de representarmos Portugal é uma alegria extra - explicou.

Sobre Marrocos, João acredita em um equilíbrio entre as seleções e não poupou elogios para Hakimi, lateral do PSG que cobrou o pênalti decisivo na classificação dos Leões do Atlas contra a Espanha.

- Já analisamos alguns pontos positivos e negativos deles. Vai ser um jogo difícil. Sabemos o que temos de fazer para evitar o que eles têm de bom, e seguramente vamos estar preparados para ganhar o jogo. Todos sabemos que Hakimi é um dos melhores laterais do mundo, joga em uma das melhores equipes do mundo. Mostra há anos que é um grande jogador, vai ser um duelo interessante. Ele vai defender o seu país, eu vou defender o meu, e espero ganhar eu - concluiu o atacante português.

O vencedor deste confronto irá medir forças com Inglaterra ou França em uma das semifinais da Copa no Qatar.