Portugal conta com sede de vitória de Cristiano Ronaldo para avançar na Copa

Favorita no Grupo H da Copa do Mundo, a seleção de Portugal conta com a sede de vitória de Cristiano Ronaldo para fazer frente aos adversários da chave: Uruguai, Gana e Coreia do Sul.

Ninguém duvida da determinação que o atacante sempre demonstrou ao longo de sua carreira, mas será o português capaz de superar a falta de tempo de jogo nessa temporada para ser decisivo aos 37 anos?

No banco de reservas do Manchester United nos últimos meses, 'CR7' também foi privado de jogar a Liga dos Campeões, torneio que já havia ganhado com o clube inglês em 2008, além dos quatro títulos com o Real Madrid.

Se o capitão de Portugal fizer ao menos um gol no Catar, se tornará o primeiro jogador a marcar em cinco Mundiais, superando Pelé, Miroslav Klose e Uwe Seeler, que balançaram as redes em quatro edições.

Mas o cinco vezes Bola de Ouro parece estar em declínio desde o título da Eurocopa de 2016.

O treinador da da seleção portuguesa, Fernando Santos, por sua vez, não parece sentir falta de jovens talentos na equipe, tendo à disposição nomes como João Félix, Rafael Leão, Bruno Fernandes, Nuno Mendes e Renato Sanches, mas ainda tem dificuldade para renovar o jogo de um time construído ao redor de Cristiano.

Para garantir a classificação para a Copa, Portugal teve que passar pela repescagem, após ter sido superado pela Sérvia na fase de grupos das Eliminatórias Europeias.

Seu principal adversário no Grupo H, o Uruguai, foi carrasco dos portugueses nas oitavas de final do Mundial de 2018.

No entanto, a 'Celeste' também não parece em sua melhor versão, com um ataque envelhecido (Luis Suárez e Edinson Cavani têm 35 anos) e sofrendo para se classificar, embora seja a única seleção campeã mundial presente na chave.

Os uruguaios vão reencontrar a seleção de Gana, que eliminaram nas quartas de final da edição de 2010, após uma partida eletrizante que foi decidida no pênaltis. O jogo ficou marcado pelo lance em que Suárez evitou o gol da vitória dos ganeses espalmando a bola em cima da linha no último minuto da prorrogação, com Asamoah Gyan chutando no travessão o pênalti que levaria uma seleção africana pela primeira vez às semifinais de um Mundial.

A Coreia do Sul, por sua vez, espera poder contar com sua estrela Son Heung-min, que sofreu uma fratura no rosto na semana passada e passou por cirurgia.

O atacante é considerado um "amuleto" da equipe, que também se destaca por um sólido sistema defensivo liderado pelo zagueiro Kim Min-jae, que vive grande temporada no Napoli.

alu/mcd/pm/yr/cb