Por ritmo, Lucas Fernandes cogita mudança de posição no São Paulo

Bruno Grossi

A comissão técnica do São Paulo estuda utilizar uma formação mista no domingo, às 16h, para encarar o Santo André pela sétima rodada do Campeonato Paulista. E esse rodízio de jogadores promovido por Rogério Ceni faz o garoto Lucas Fernandes ter esperança por uma chance na equipe titular, mesmo que em uma nova função em campo.

- A gente sempre tem a expectativa de jogar. Vamos trabalhar pra isso e o que ele escolher, vai ser o melhor. Ele já conversou comigo, perguntou onde eu gostava de jogar, falei pra ele que no meio gostava de jogar segundo volante, mas faço também a meia. Onde ele me colocar, vou jogar - avisou.

O termo "segundo volante" não é muito utilizado por Ceni e seus auxiliares, mas refere-se à função que vem sendo desempenhada por Cícero em 2017. Dos três meio-campistas, João Schmidt fica à frente da zaga, o camisa 8 faz a transição e Thiago Mendes atua praticamente como um meia.

No posto de Thiago, Lucas se vê em dificuldades pelo porte físico, já que teria que ficar mais tempo de costas para o gol e mais pressionado pelos marcadores. No de Cícero, teria mais liberdade para criar vindo de trás. Outra opção seria a vaga de Cueva, que flutua na linha de três atacantes para armar ou se infiltrar na área, mas o peruano vive grande fase.

- É como eu falei para ele: prefiro jogar chegando de frente, com mais espaço, mas é algo (jogar de costas) que vamos desenvolvendo. Até porque precisaremos, já que dominamos a maioria dos jogos - analisou.

Até aqui, desde que se recuperou de cirurgias no ombro e no joelho esquerdo, Lucas fez apenas uma partida. No empate em 2 a 2 com o Mirassol, entrou na vaga de Cueva e ficou em campo por 17 minutos. Ao todo, são 14 jogos no elenco profissional do São Paulo, com um gol e duas assistências.









E MAIS: