Por que o Flamengo não fechou com a Amazon como patrocinador master?

Goal.com

O Flamengo está de novo patrocinador máster. De acordo com o próprio presidente do clube, Rodolfo Landim, o Rubro-Negro carioca chegou a um acordo com o Banco de Brasília (BRB), que deverá estampar a parte frontal da camisa do Flamengo a partir do próximo mês.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A novela para o novo patrocinador do Fla correu durante alguns meses e vários nomes de grandes empresas foram ventilados como possíveis novos parceiros do clube. O que recentemente ganhou maior força foi a empresa estadunidense Amazon.

Leia também:

Com uma proposta que agradou mais ao Flamengo, o BRB venceu a concorrência e estampará a camisa do time da Gávea por pelo menos um ano e meio. 

Entenda o que aconteceu para que a Amazon fosse recusada como nova patrocinadora do Mengão.

Valores

De acordo com o presidente Rodolfo Landim, o Flamengo tinha algumas propostas em cima da mesa para novo patrocínio. Em entrevista ao Bem, Amigos, Landim deu a entender que a Amazon já não era a favorita, embora fosse a mais comentada. 

"A mais falada não é a preferida pela diretoria. Existem algumas propostas sobre a mesa do Flamengo, mas sempre falam de uma só. E digo mais, não é a mais provável. Estamos trabalhando para fechar nos próximos dias e encaminhar ao Conselho", falou Landim, no começo de junho. 

Um dos principais motivos para isso está na questão dos valores apresentados pelas empresas. Com a nova parceria, o Fla irá lucrar R$ 35 milhões em 18 meses. A proposta da Amazon era de cerca de R$ 24,5 milhões, ou seja, 30% a menos.

Tempo de contrato

A pandemia do coronavíruss fez com que as conversas entre Amazon e Flamengo esfriassem um pouco. Um dos principais pontos que fez com que isso acontecesse foi a proposta de tempo de contrato oferecido pelos estadunidenses. De acordo com o jornalista Venê Casagrande, a companhia buscava um contrato de meses, menos de um ano para a marca estampar a camisa rubro-negra. A diretoria flamenguista buscava o termo de um ano e meio, que coincidirá com o fim da gestão de Rodolfo Landim e encontrou isso no banco estatal brasileiro. 

Alternativas

Nesse momento de consolidação do alto nível que o clube mostrou na América do Sul em 2019, o Fla buscou alternativas que rendessem um valor acima do que vinha recebendo. O contrato de patrocínio do Bando BS2 vai até 30 de junho e rendeu R$ 15 milhões ao clube carioca.

Por isso, outros nomes foram ventilados nesse meio tempo. Além da Amazon e do BRB, as Lojas Americanas apareceram como uma possível patrocinadora do Fla. A Goal apurou que a agremiação também conversou com uma operadora de saúde e uma empresa de pagamento de cartões.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também