Por meio de dirigente, Santos volta a reclamar de arbitragem

Fábio Lázaro
·3 minuto de leitura


A diretoria do Santos segue insatisfeita com a arbitragem. Neste domingo (08), após o empate em 1 a 1 contra o Red Bull Bragantino, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, o superintendente de esportes Felipe Ximenes questionou o escanteio que resultou no gol do Massa Bruta, aos 50 minutos do segundo tempo.

Para Ximenes, o tiro de canto aconteceu após o fim dos acréscimos de cinco minutos dado pelo árbitro Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral e o dono do apito não sinalizou a extensão do tempo extra.

- Não é muito a característica minha falar sobre arbitragem, mas estou aqui a pedido do presidente Orlando Rollo. Penso que o clube precisa tomar as medidas legais e as que são direcionadas pela comissão de arbitragem. Mas realmente foi uma situação delicada, onde o jogo já havia sido terminado no primeiro escanteio, a arbitragem não sinalizou um minuto a mais para que pudesse tornar legítimo o segundo escanteio e a gente pudesse tomar o gol - disse o dirigente à Santos TV.

É a segunda vez que representantes do Peixe vêm a público reclamar da arbitragem. Após a derrota por 3 a 1 para o Fluminense, no estádio o Maracanã, no 25 de outubro, pela 18ª rodada do Brasileirão, o presidente Orlando Rollo já havia vindo a público direcionar reclamações sobre a atuação de Anderson Daronco. Na ocasião, o Alvinegro também encaminhou à CBF um ofício formalizando a sua insatisfação.

Além de ter se sentido lesado neste encontro diante do Bragantino, o Santos relembra o confronto válido pela primeira rodada do Brasileirão, na Vila Belmiro, no dia 09 de agosto, quando o Peixe também sofreu um empate em 1 a 1 nos minutos finais e reclamou do árbitro do jogo, Ricardo Marques Ribeiro por não ter autorizado uma substituição com atletas santistas já se dirigindo ao banco de reservas e ficando fora de posição na cobrança de escanteio que resultou em um rebote aproveitado pelo meia Claudinho, do Massa Bruta.

- Infelizmente uma coincidência tremenda, o Santos no primeiro e no segundo turno tomando gols no final justamente contra o Bragantino, mas o Santos FC vai fazer o que tem feito, se posicionando oficialmente nos meios que deve seguir junto a Confederação Brasileira de Futebol, a Comissão de Arbitragem - afirmou Ximenes.

Com os dois prontos perdidos no fim do jogo, o Peixe perdeu a chance de chegar a 33 pontos e ficar a três do líder do Brasileirão, o Internacional, adversário do Peixe no próximo sábado (14), às 16h30, na Vila Belmiro, pela 21ª rodada da competição.

- Dois pontos muito valiosos, mas eu prefiro aqui valorizar o trabalho do Cuca e de toda a sua comissão técnica, que ao logo do primeiro turno com o elenco extremamente reduzido, com situações que a gente vem passando com a questão da pandemia, e é lógico que se a gente ganha esse jogo aqui, com 33 pontos, a três pontos do líder do campeonato, jogando contra eles semana que vem, a gente teria condições inclusive de estar liderando o o Campeonato Brasileiro - exclamou o superintendente de esportes.

Antes de encarar o Colorado, o Alvinegro Praiano terá a semana livre, algo que não acontece há cerca de três meses. Eliminado da Copa do Brasil nas oitavas de final, contra o Ceará, na última quarta-feira (04), competição que terá espaço nesta quarta-feira (11), o Santos terá espaço para recondicionar o elenco fisicamente para o duelo contra os gaúchos.