Por mais que três pontos, Flamengo recebe o Atlético-GO no Maracanã

LANCE!
·2 minuto de leitura


O Flamengo entra em campo na noite deste sábado, no Maracanã, para enfrentar o Atlético-GO pela 21ª rodada do Brasileirão. Mais do que os três pontos que podem recolocar o time na liderança da tabela - a depender dos resultados de Internacional e Atlético-MG -, a partida também servirá como preparativo para o duelo com o São Paulo, na próxima quarta, por uma vaga na semifinal da Copa do Brasil.

A partir das 21h30, Rogério Ceni estará na área técnica rubro-negra pela segunda vez. Na estreia, a derrota por 2 a 1 deixou uma boa impressão, mas o treinador mostrou preocupação em relação à parte física. E esse aspecto terá papel fundamental na escalação que o comandante mandará a campo. Independentemente dos 11 iniciais, o objetivo é “vencer e convencer”.

CONFIRA A TABELA COMPLETA E A CLASSIFICAÇÃO DO BRASILEIRÃO

A maratona de jogos em que o Flamengo está envolvido, por conta da Libertadores, Copa do Brasil e Brasileirão, torna o desgaste físico sempre uma questão a ser avaliada pelo departamento médico e comissão técnica. Neste momento, contudo, as atenções também estão voltadas para os atletas que retornam de um longo período de inatividade. São os casos de Diego Alves, Arrascaeta, Pedro Rocha e Gabriel Barbosa.

O goleiro, por exemplo, voltou a atuar após 73 dias afastado por duas lesões, além de ter contraído a Covid-19, no último dia 11. Assim, sentiu a ausência de ritmo e, com cãibras nas duas pernas, foi substituído aos 11 minutos da etapa final. A ideia é que o camisa 1 recupere a condição ideal e seguirá como titular diante do Atlético-GO.

De acordo com Ceni, Gabigol é outro que precisa de mais tempo até recuperar 100% das condições de jogo como antes da lesão no tornozelo direito, que o tirou das partidas do Flamengo entre 30 de setembro e 8 de novembro.
É a mesma situação de Arrascaeta, que atuou seus primeiros 45 minutos na derrota para o São Paulo, na quarta passada, após ser baixa no Flamengo por 38 dias, e Pedro Rocha, que, com problemas físicos, ficou sem jogar por mais de dois meses.

As questões individuais, portanto, dividem espaço com os aspectos coletivos, uma vez que Rogério Ceni busca devolver características ao time dos tempos de Jorge Jesus e que foram deixadas de lado por Domènec Torrent em sua passagem. Conquistar os três pontos e apresentar um bom desempenho diante do Dragão, neste sábado, deixará o Flamengo mais confiante em reverter a vantagem do São Paulo e classificar-se às semis da Copa do Brasil na próxima quarta-feira.