Ponte Preta blinda seus jogadores antes da decisão estadual

A Ponte Preta resolveu se precaver antes das partidas contra o Corinthians, que valem o título do Campeonato Paulista. O clube de Campinas restringiu o contato da imprensa com os seus principais destaques, instruídos a não conceder entrevistas, e definirá a sua formação para o jogo de domingo a portas fechadas.

Procurados para comentar a decisão, por intermédio de suas assessorias de imprensa particulares, o atacante Lucca e o zagueiro Yago, por exemplo, foram impedidos de se manifestar por determinação do departamento de comunicação da Ponte Preta. Os dois jogadores estão emprestados pelo Corinthians à rival.

Quem também está sendo poupado dos microfones nesta semana é o centroavante William Pottker. Futuro reforço do Internacional, o atleta chegou a ter um acordo para defender o Corinthians após o Campeonato Paulista, porém a presença dele em uma partida da Copa do Brasil fez o clube do Parque São Jorge desistir do negócio.

Já o também atacante Clayson ainda interessa ao Corinthians, motivo pelo qual a Ponte Preta deverá adotar mais cautela contra eventuais polêmicas em torno dele. Entre torcedores, há quem compare a situação com a de Rui Rei, expulso na final do Paulista de 1977, que trocou o time de Campinas pelo paulistano no ano seguinte.

Alheia a paralelos com a primeira decisão de Paulista que disputou com o Corinthians, há quatro décadas, a Ponte Preta também esconde a sua escalação para a primeira partida da final, no Moisés Lucarelli. A principal dúvida é em relação ao substituto do zagueiro Marllon, suspenso, que poderá ceder espaço aos ex-corintianos Fábio Ferreira ou Kadu.

Na quarta-feira, o técnico Gilson Kleina observou os seus reservas em ação em um jogo-treino contra o Primavera de Indaiatuba, derrotado por 1 a 0. O escolhido para falar em entrevista coletiva foi o volante Elton, que não dá margem a qualquer controvérsia com o Corinthians.