Polo Aquático: Perrone é convidado para defender a Seleção Espanhola

O capitão brasileiro na Rio-2016 é o segundo melhor do mundo na modalidade e já atuou pelo time europeu

De acordo com o site Globoesporte.com, a Seleção Brasileira masculina de polo aquático pode perder seu capitão para o próximo ciclo olímpico. O carioca com dupla cidadania, Felipe Perrone, foi convidado para defender a Espanha, onde já atuou entre 2004 a 2012. O atleta, contudo, não definiu seu futuro:

- Na verdade, a intenção é seguir jogando com o Brasil, mas também preciso ver o que vai acontecer no polo aquático nacional. O pessoal lá gostaria que eu voltasse a jogar pela Espanha. Mas, por enquanto, não penso nisso. Estou com 31 anos e espero que o que a gente construiu na Olimpíada contunue. Porém, o esporte no Brasil, principalmente o polo aquático, se encontra em um momento de incertezas - disse Felipe.

Na Rio-2016, o time masculino acabou na oitava colocação, com três vitórias na fase de classificação, sendo uma contra a campeã olímpica Sérvia. Em fevereiro, a Seleção teve a sua primeira competição pós-olimpíada, a Copa Uana. O time foi campeão, mas não contou com Perrone.

- Antes do pré-mundial, alguns jogadores foram convocados para a Seleção. Pedi dispensa pelos compromissos com o clube e também pelo nascimento do meu filho - disse o esportista que se tornou pai no dia 14 de fevereiro.


Entre os 13 jogadores convocados para os Jogos do Rio, seis apresentavam dupla nacionalidade: o goleiro Slobodan Soro (sérvio) e o centro Josip Vrlic (croata). Além disso, repatriou Felipe Perrone, que nasceu no Brasil mas defendeu a Espanha por oito anos, e nacionalizou três atletas com familiares brasileiros: Paulo Salemi, Ádria Delgado e Ives González.









E MAIS: