Polivalência de Kanté desmonta máquina de Guardiola e Bola de Ouro vira sinal de justiça

·2 minuto de leitura

O equilíbrio deu tom ao duelo derradeiro da Champions League 2020/21. Em 90 minutos, apenas um jogador balançou as redes: Kai Havertz. O Chelsea de Thomas Tuchel, mais uma vez, conseguiu não apenas colocar todas suas ideias dentro das quatro linhas como também impediu que Pep Guardiola fizesse o mesmo.

A equipe do treinador espanhol tentou repetir a estratégia que funcionou brilhantemente no decorrer da temporada: vencer pela superioridade numérica na área adversária. Os Citizens só não contavam que Jorginho e N'Golo Kanté estavam preparados para anular qualquer possível jogada dos donos do Etihad Stadium.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O polivalente Kanté estava em todos os lugares: ele foi de zagueiro a atacante em menos de 30 segundos. Surpreende, no entanto, que seu maior destaque tenha sido justamente na zona de conforto de Guardiola. O nó tático, fruto do brilhante trabalho de Tuchel, deixou Gündoğan, Mahrez e companhia sem saber como desatar a fortaleza azul que se apresentava da faixa central do campo para trás.

Os Blues não foram brilhantes no ataque. Pelo contrário, Timo Werner conseguiu perder gols feitos, assim como Christian Pulisic no segundo tempo. Contudo, liderados pelo surpreendente francês, o clube londrino foi desmontando, pouco a pouco, a máquina azul. Nos instantes finais, Walker, já desesperado por alguma solução milagrosa, cobrou sucessivos laterais em direção ao gol de Mendy, mas ele estava lá novamente: Kanté parecia ter decorado cada possível passo de todos os adversários.

A eminente discussão pela Bola de Ouro é questão de justiça esportiva. Recebendo prêmio de melhor em campo pela quarta vez, o volante fez uma Liga dos Campeões memorável e que irá martelar a cabeça de Guardiola e seus comandados durante dias. Aliás, o grande destaque na fase decisiva pode ser determinante, afinal, a reta final do torneio não foi marcada pelos famosos goleadores: Lewandowski, Mbappé, Messi, Cristiano Ronaldo... todos esses caíram antes.

Kanté anulou as investidas dos jogadores do Manchester City. | Alex Livesey - Danehouse/Getty Images
Kanté anulou as investidas dos jogadores do Manchester City. | Alex Livesey - Danehouse/Getty Images

Os próximos meses serão vitais para determinar o vencedor da premiação individual mais importante do futebol. Teremos toda uma Eurocopa pela frente e Kanté, como se o destino do futebol estivesse preparado este momento, aparece na seleção favorita ao título. Melhor do mundo? Só saberemos em dezembro. Absolutamente histórico? Sem dúvidas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos