Política causa mais uma demissão no Corinthians... e Coelho pode ser o próximo

Alysson (à direita) foi dispensado após ganhar mais de 30 títulos na base alvinegra e Coelho (ao seu lado), técnico do sub-20, é quem mais corre risco agora (Divulgação)

* Questões políticas seguem interferindo, e muito, no dia a dia das categorias de base do Corinthians. Nesta quarta-feira, Alyson Marins, coordenador de captação do clube há quatro anos, foi demitido, engrossando uma lista de funcionários multicampeões dispensados recentemente como Rodrigo Leitão e Robson Tavares.

Ainda existe uma chance de Coelho, técnico do time sub-20 desde janeiro, ser o próximo. Ele assumiu o posto assim que Osmar Loss foi promovido a auxiliar-técnico de Fábio Carille no profissional. Semanas atrás, Coelho chegou a ser demitido, mas acabou recontratado em seguida, por determinação de Andrés Sanchez.

Porém, neste momento, Nei Nujud, diretor das categorias de base, e seus assessores parecem estar em queda de braço com Andrés Sanchez, que concorrerà à presidência do Timão em fevereiro do ano que vem. Há quem garanta, inclusive, que Nei já foi avisado de que perderá seu cargo em caso de vitória do ex-presidente na votação que ocorre em cinco meses.

Alyson teve papel importante na montagem das equipes do Corinthians que foram à final da Copa São Paulo de juniores por quatro anos seguidos. Durante esse período, ele esteve em mais de 30 títulos das fileiras inferiores do Timão e ajudou na utilização de 29 atletas da base no elenco profissional.

O coordenador de captação tem duas ofertas de clubes do Brasil para exercer a mesma função, e uma do exterior, onde atuaria como uma espécie de observador na América do Sul.

Entre os demitidos está Rodrigo Leitão, que foi coordenador geral das categorias de base até abril deste ano. Atualmente na Ponte Preta, ele ministra aulas em cursos da CBF e tem Yamada, que o substituiu no Corinthians, como um de seus alunos.

No início da noite desta quinta-feira, Nei Nujud e Yamada entraram em contato com o Blog para assegurar que a saída de Alysson não teve cunho político. “Posso assegurar que todas as nossas decisões são tomadas em busca do melhor para o Corinthians. Não tem qualquer relação com a política”, assegurou Nujud.

Já Yamada explicou que a demissão de Alysson tem a ver com uma mudança no perfil dos atletas contratados para a base. “Estamos buscando jogadores para a base da pirâmide, ou seja, de 11 a 14 anos. É por isso que acertamos a chegada de cinco olheiros: um na Bahia, outro no interior de São Paulo, um terceiro na periferia de São Paulo, outro em Minas Gerais e mais um que foi técnico do São Paulo e do Audax”, explica Yamada.

Pouco depois de os dirigentes justificarem a saída, Alysson também fez contato com o Blog para assegurar que ele tinha enorme participação na captação de atletas mais jovens. “Eu e o Robson Tavares fizemos o Corinthians ser o primeiro clube de São Paulo a ter a categoria sub-9 no campo”, relembra. “Cuidados de toda a captação e hoje são de 70 a 80 meninos treinando.” Vários foram descobertos em torneios de futsal em toda a cidade de São Paulo.

O ex-funcionário corintiano também garante ter criado a Copa Corinthians, torneio com garotos de 9 a 13 anos de todo o estado de São Paulo. “Fizemos o torneio por três anos seguidos, com 32 equipes por categoria. Foram mais de 20 atletas incorporados às categorias de base, sendo que dois seguem com muito destaque: o Biro, camisa 10 do sub-13, que eu contratei com dez anos, e o Argentino, que saiu de um projeto das comunidades quando tinha 12 anos e também está no sub-13.”

* atualizado às 20h31

 

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: