Policial penal é morto em mais uma noite de atentados no Rio Grande do Norte

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um policial penal foi morto na noite de sexta-feira (17) em mais um atentado em São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte. Nos últimos cinco dias, o estado tem registrado uma série de ataques contra agentes de segurança pública e prédios administrativos.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária, o policial Carlos Eduardo Nazário, de 54 anos, estava de folga quando foi abordado por dois homens em uma moto. Ele foi atingido com três tiros no braço, na perna e no tórax, enquanto estava em um comércio do bairro.

O agente foi socorrido para o Hospital Santa Catarina, mas morreu na sala de cirurgia. Policiais militares fizeram operações na região do Jardim Lola, onde ocorreu o crime, mas não localizaram os autores do crime.

Na manhã de sexta, uma força-tarefa que envolveu as polícias Federal, Civil e Militar e outros órgãos de segurança cumpriu 54 mandados de busca e prisão contra integrantes de uma facção criminosa apontada como responsável pela onda de violência no Rio Grande do Norte. Cerca de 40 cidades do estado já registram uma série de ataques desde a madrugada de terça (14).

Batizada de Normandia, a operação mirou 22 pessoas e cumpriu 30 mandados de prisão preventiva e 24 de busca. Segundo as investigações, a organização movimenta cerca de R$ 150 mil por mês com tráfico de drogas e assaltos.

Em razão da falta de segurança, várias cidades mantêm serviços públicos suspensos, como transporte coletivo, aulas, atendimento de saúde e atividades esportivas.

Também nesta quinta foi instalado no estado o GGC (Gabinete de Gestão de Crise). O grupo foi criado pela governadora Fátima Bezerra (PT) durante reunião com representantes dos poderes Legislativo e Judiciário e do Ministério Público Estadual e Federal, além de entidades da sociedade civil.