Polícia interrompe show com aglomeração em Fortaleza, e cantora é detida: "Sei dos riscos, mas preciso trabalhar"

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Festa de forró foi encerrada em Fortaleza após chegada de policiais; à direita, cantora Iara Pamella desabafa sobre detenção
Festa de forró foi encerrada em Fortaleza após chegada de policiais; à direita, cantora Iara Pamella desabafa sobre detenção

Uma festa de forró foi interrompida pela polícia, na noite do último sábado (31), em uma casa de shows de Fortaleza. A cantora Iara Pamella, uma das atrações do evento, se desentendeu com os agentes de segurança e foi encaminhada para a delegacia.

Em nota publicada pelo portal G1, a Secretaria da Segurança do Ceará informou que “a cantora foi espontaneamente para a delegacia como testemunha”. Segundo o órgão, 200 pessoas se aglomeravam na festa de forró e parte não utilizava máscaras.

Leia também

No total, a operação abordou 248 pessoas e 48 veículos. Os dois gerentes responsáveis pelo estabelecimento também foram conduzidos para o 30º DP, assinaram um termo circunstanciado de ocorrência por infringir medida sanitária preventiva e foram liberados com a cantora.

Um decreto em vigor no Ceará determina uso obrigatório de máscara em locais públicos e privados, além do distanciamento social.

Iara Pamella se defendeu em sua rede social e disse que precisa trabalhar, embora tenha reconhecido os riscos de contágio do novo coronavírus.

“Nós, que somos honestos, batalhadores, pessoas de bem, dignas, só queremos trabalhar para sustentar nossa família, pagar nosso aluguel, água, luz. Quando a gente se cala, é como se estivesse concordando, e eu não concordo que o governador tenha mandado várias viaturas para um estabelecimento, todos armados, segurando fuzis. Fiquei indignada porque eu estava trabalhando. Sei que corria um risco muito grande por causa do coronavírus, mas o que o vou fazer? Como vou comer? Como vou pagar minhas contas? Como vou sustentar minha família? Infelizmente, é um risco que vou correr porque preciso trabalhar”, afirmou.