Polícia prende manifestantes após protesto ambiental durante largada do GP da Grã-Bretanha

Jonathan Noble
·3 minuto de leitura

As polícias de Silverstone e de Northamptonshire abriram uma investigação depois que quatro manifestantes foram presos por entrar na pista antes do início do GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1, exibindo uma faixa na última curva do circuito.

Leia também:

Em fim dramático, Hamilton supera pneu furado e vence na Inglaterra VÍDEO: Pilotos da F1 gravam mensagem antirracismo e se ajoelham antes do GP F1: Hamilton quebra jejum e vence Piloto do Dia depois de dois anos com triunfo em Silverstone

Uma faixa rosa do grupo ambiental Extinction Rebellion foi vista sendo desenrolada sobre painéis de patrocínio na curva ‘Club’, no momento em que os carros saíram do grid para a volta de apresentação. Veja abaixo o vídeo do momento:

As fotografias mostraram os manifestantes, vestidos com macacões pretos, camisetas e máscaras com o logotipo do grupo, sendo levados para longe da lateral do circuito.

Um comunicado do circuito disse que quatro indivíduos envolvidos no protesto foram detidos. “Durante a corrida, a Polícia de Northamptonshire tomou conhecimento de quatro pessoas detidas pela segurança de Silverstone dentro do perímetro do local", disse o comunicado.

“Policiais estão trabalhando de maneira próxima com o Circuito de Silverstone e conduzindo uma investigação completa. Quatro pessoas foram detidas e estão sob custódia da polícia”.

Em busca de garantir que apenas indivíduos que estavam cumprindo os protocolos de coronavírus pudessem entrar no local, a F1 tem operado controles rígidos para as corridas com portões fechados da temporada.

Não é a primeira vez que manifestantes utilizaram corridas da F1 como oportunidade de promover suas causas. No GP da Bélgica de 2013, o Greenpeace fez um protesto contra a Shell, que foi a patrocinadora principal do evento.

O Extinction Rebellion publicou um comunicado em seu website dizendo que os manifestantes “não estavam lá para interromper a corrida de hoje, mas para enviar uma mensagem clara para os milhões de espectadores: que o mundo está muito fora do caminho para impedir a emergência climática e ecológica, e a meta de zero carbono para 2050 da União Europeia e do Reino Unido está muito atrasada”.

Donald Bell, integrante do Extinction Rebellion, elogiou o compromisso da F1 em tornar-se neutra em carbono até 2030, com o golpe aparentemente destinado a enviar uma mensagem aos governos da União Europeia e aos líderes do Reino Unido.

"Hoje foi uma oportunidade para lembrar ao mundo que a crise climática e ecológica não desapareceu e está se intensificando todos os dias.

"Embora aplaudamos a Fórmula 1 por tomar as medidas ousadas e se comprometer a chegar a zero carbono até 2030, essa forte liderança zomba da própria meta de 2050 dos governos da UE e do Reino Unido.

“Pelos padrões do próprio GP, 2050 é tarde demais. Chegou a hora dos governos do mundo mostrarem alguma liderança própria”.

PÓDIO: Hamilton vence com três rodas em GP da Grã-Bretanha maluco

PODCAST: Bastidores do futuro do GP do Brasil e os ambientes de F1 favoritos de Reginaldo Leme

Your browser does not support the audio element.