Polícia investiga racismo de torcedores na final da Copa do Brasil

·2 min de leitura

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil do Paraná abriu investigação de racismo por parte de torcedores do Athletico-PR durante a partida de volta das finais da Copa do Brasil, na quarta-feira (15). Vídeos com atleticanos imitando macacos e fazendo referência à cor da pele dos torcedores do Atlético-MG circulam em redes sociais. Eles motivaram a investigação.

O Atlético-MG venceu o Athletico por 2 a 1, em Curitiba, e sagrou-se campeão da Copa do Brasil. No primeiro jogo da final, no domingo (12), em Belo Horizonte, o time de Minas Gerais já havia batido a equipe paranaense por 4 a 0.

Mais de 34 mil pessoas acompanharam a partida de quarta na Arena da Baixada, estádio do Athletico. Alguns poucos presentes cometeram os atos racistas, em meio à torcida atleticana que fazia bonita festa e empurrava o time.

Em dois vídeos divulgados pela jornalista Bianca Molina, da Band TV, numa rede social, homens brancos fazem gestos que parecem ser de macacos e apontam para a área do estádio em que estavam os torcedores do Atlético-MG. Os vídeos também mostram os homens apontando para a sua pele em tom irônico.

Em outro vídeo, divulgado em outro perfil, uma mulher parece imitar macacos de dentro de um camarote do estádio. Torcedores do Athletico chegam a repreendê-la.

O Athletico-PR informou em nota emitida nesta quinta (16) que tomou conhecimento do que o clube chamou de "atos de racismo" cometidos no jogo de quarta. Declarou que o "racismo é inaceitável e, mais do que isso, criminoso".

"O clube não medirá esforços para investigar os acontecimentos, identificar os responsáveis e repassar todas as informações às autoridades competentes", acrescentou o clube.

Segundo a Polícia Civil, a apuração do caso está a cargo da Demafe (Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos). No dia do jogo, a Demafe não registrou nenhuma ocorrência sobre os atos dos atleticanos. Ninguém foi preso.

A reportagem não conseguiu contato com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para ouvir a entidade sobre o caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos