Polícia da Indonésia diz que 6 enfrentam acusações criminais por tumulto em estádio

Confusão em estádio de futebol na Indonésia

JACARTA (Reuters) - Seis pessoas, incluindo policiais e organizadores do jogo, enfrentam acusações criminais na Indonésia por um tumulto em jogo de futebol no fim de semana que deixou pelo menos 131 mortos, disse o chefe de polícia do país nesta quinta-feira.

O evento de sábado na região de Malang, em Java Oriental, foi um dos piores desastres esportivos do mundo, em que centenas de torcedores tentaram fugir de um tumulto no estádio e do disparo de gás lacrimogêneo pela polícia, levando a uma confusão agravada por várias saídas trancadas.

O chefe de polícia Listyo Sigit Prabowo disse em entrevista coletiva que os organizadores e a polícia estão entre os investigados, e mais pessoas podem ser acusadas.

Eles serão acusados ​​​​de negligência criminosa causando morte, que acarreta uma sentença máxima de cinco anos de prisão se forem considerados culpados.

Os suspeitos incluem três policiais pelo uso de gás lacrimogêneo, o chefe do comitê organizador e o chefe de segurança do clube da casa Arema FC.

A polícia disse que os dirigentes do clube não cumpriram os requisitos de segurança e permitiram uma multidão maior do que a capacidade do estádio, enquanto os organizadores abandonaram as saídas.

(Reportagem de Stanley Widianto)