Polícia Civil indicia Ramírez, do Bahia, por injúria racial contra Gerson, do Flamengo

LANCE!
·1 minuto de leitura


Após investigação, a Polícia Civil indiciou o meia Ramírez, do Bahia, por injúria racial contra Gerson, do Flamengo. O caso ocorreu no duelo entre as equipes no Maracanã em 20 de dezembro, pela 26ª rodada do Brasileirão. Agora, o inquérito vai para o Ministério Público, que decidirá então se apresentará denúncia contra o atleta colombiano.

+ Ainda dá para o Fla? Confira a tabela completa do Brasileirão

Durante a investigação, foram ouvidos outras pessoas presentes no jogo além de Gerson e Ramírez. Pelo lado do Flamengo, Bruno Henrique e Natan foram chamados para depor. O técnico Mano Menezes, na época no Bahia, também prestou depoimento.

A conclusão da Polícia Civil é de que a versão de Gerson é verdadeira. O jogador do Flamengo acusou Ramírez de ter dito "Cala a boca, negro". Na ocasião, o colombiano negou e afirmou ter dito "Joga rápido, irmão".

+ Veja mais notícias do Flamengo

Além da esfera criminal, o caso é analisado pelo Superior Tribunal da Justiça Desportiva (STJD). Nesta quarta-feira, Gerson e os outros jogadores do Flamengo dariam depoimento, mas não compareceram por decisão do clube rubro-negro. O inquérito vai seguir sem a declaração dos atletas.