Polêmica e golpes "ilegais"! Mousasi vence Mousasi após interrupção médica

Mousasi estreia no Bellator diante de ex-campeão em outubro

O co-main event do UFC 210, evento realizado neste sábado (8) na cidade de Buffalo, contou com uma disputa de peso na divisão dos médios (84 kg). E o que não faltou no duelo entre Chris Weidman e Gegard Mousasi foi polêmica, já que o vencedor foi decidido por interrupção médica.

Depois de um primeiro round movimentado em que Weidman derrubou duas vezes e impôs domínio territorial, o dono da casa cansou e garantiu um segundo assalto dramático. Sem poder para derrubar o rival, o ex-campeão foi obrigado a trocar em pé contra o experiente kickboxer e levou a pior.

Cambaleando,Weidman tentou uma queda e viu o adversário defender a posição e aplicar duas joelhadas. Neste momento, o americano tentava encostar as duas palmas da mão no solo,para garantir que tais golpes fossem ilegais. No entanto, após o árbitro paralisar a disputa, o replay exibido no telão deixou claro que os golpes foram legais, oq eu deu início à nova polêmica.

Como estava cansado e desgastado, Weidman valorizou a posição e pediu por cinco minutos para se recuperar. Ao saber que os golpes foram legais e que a luta deveria prosseguir, o árbitro não teve dúvidas em impedir que o ex-campeão retornasse ao confronto, declarando Mousasi vencedor,para tristeza da plateia.

Confira os resultados do UFC 210:

Gegard Mousasi venceu Chris Weidman por nocaute técnico no 2º round;
Cynthia Calvillo finalizou Pearl Gonzalez no 3º round;
Thiago ‘Pitbull’ Alves venceu Patrick Côté por decisão unânime;
Charles ‘Do Bronxs’ Oliveira finalizou Will Brooks no 1º round;
Myles Jury nocauteou Mike De La Torre no 1º round;
Kamaru Usman venceu Sean Strickland por decisão unânime;
Shane Burgos nocauteou Charles Rosa no 1º round;
Patrick Cummins venceu Jan Błachowiczpor decisão majoritária;
Gregor Gillespie nocauteou Andrew Holbrook no 1º round;
Desmond Green venceu Josh Emmett por decisão dividida;
Katlyn Chookagian venceu Irene Aldana por decisão dividida;
Magomed Bibulatov venceu Jenel Lausa por decisão unânime;