PM mata adolescente e joga corpo em vala no litoral de SP

Moradores da comunidade flagraram policiais mexendo no corpo, um deles usando luvas (Foto: Arquivo pessoal)
Moradores da comunidade flagraram policiais mexendo no corpo, um deles usando luvas (Foto: Arquivo pessoal)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • No dia da morte, a vítima foi com a namorada grávida fazer um exame pré-natal

  • ‘Foi um ato de covardia’, lamenta a jovem

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Policiais militares de São Vicente, no litoral de São Paulo, foram filmados jogando em uma vala o corpo de um adolescente que mataram (assista ao vídeo abaixo). O garoto de 16 anos foi baleado na comunidade do Dique do Caxeta.

A operação da PM no local deixou quatro rapazes mortos e um ferido. A corporação afirma que só disparou após ser recebida a tiros por 10 homens armados, e que a comunidade teria os atacado com pedras, garrafas e outros objetos. “Munição não letal” teria sido usada para retomar a ordem. Nenhum policial ficou ferido.

Leia também

Ao G1, um morador da região que prefere não se identificar informa que apenas um dos alvos estava envolvido com o crime. Três dos quatro mortos eram menores de idade. A comunidade desmente a versão da PM, dizendo que não houve troca de tiros.

"Eles falaram que quem tivesse na rua no próximo ao horário deles, não queriam saber se é morador ou traficante, se eles não gostassem da cara, iriam matar. Apontaram arma para as mulheres que estavam filmando. Essa repressão é rotineira", relata um morador.

O adolescente cujo corpo jogado em uma vala, Melquesedeque Romualdo dos Santos, tinha uma namorada também de 16 anos. Ela estava grávida, e em entrevista ao G1 relembra os acontecimentos do dia:

"Foi um ato covarde. Já tinham matado o menino, para que jogar o corpo? Eu estou grávida. Exatamente no dia que ele faleceu tínhamos ido fazer o exame do pré-natal e ele estava super feliz porque seria pai. Era o maior sonho dele. Mas não deixaram ele realizar esse sonho.”

Assim como outros membros da comunidade, ela afirma que não houve troca de tiros:

"Os meninos me contaram que ele foi pular o campo e já levou o primeiro tiro nas costas. Então, ele teria corrido para o beco. Nesse momento, os PMs atiraram em outro menino e me falaram que meu namorado pediu que eles não fizessem isso, que não tinha necessidade. Era um menino bom, que não tinha maldade com ninguém.”

A jovem conta que os amigos do jovem estão revoltados com o que aconteceu. Nas redes sociais, os moradores do Dique do Caxeta pedem por “paz na favela”.

A Secretaria de Segurança Pública informa que os policiais envolvidos estão afastados do serviço. Um Inquérito Policial Militar foi aberto e o caso será investigado pela Delegacia de São Vicente, da Polícia Civil, e pela própria PM. O vídeo que mostra os policiais jogando o corpo em uma vala será analisado juntamente a outras provas como a perícia do local, as armas e depoimentos.

Assista ao vídeo:

Leia também